Logomarca - Valor Consulting
Logomarca - Valor Consulting

Siga nas redes sociais:

Redução de Base de Cálculo (BC) do ICMS: Suco de Laranja

Resumo:

Veremos no presente Roteiro de Procedimentos as regras envolvendo o beneficio fiscal de redução da Base de Cálculo (BC) do ICMS incidente nas saídas internas de suco de laranja classificado no código 2009.1 da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), em conformidade com a legislação do ICMS do Estado de São Paulo, em especial, o artigo 61 do Anexo II do RICMS/2000-SP.

Hashtags: #icms, #reducaoBaseCalculo, #reducaoICMS, #beneficioFiscal, #estornoICMS, #sucoLaranja,

Postado em: - Área: ICMS São Paulo.

1) Introdução:

Em razão da crise no setor de suco de laranja (ou setor cítrico), o governo do Estado de São Paulo reduziu a Base de Cálculo (BC) do ICMS sobre as vendas do produto realizadas pelo varejo. O benefício só atingia, até então, os negócios realizados por fabricantes e atacadistas (1). De acordo com o Decreto nº 58.308/2012 (2), o imposto deverá ser apurado de forma que a carga tributária corresponda a 12% (doze por cento), não se exigindo o estorno proporcional do crédito do imposto relativo à mercadoria beneficiada com a redução. A mudança, já em vigor, tem prazo de validade indeterminado.

Vale mencionar que posteriormente essa carga tributária foi elevada para 13,3% (treze inteiros e três décimos por cento) em virtude da pandemia do covid-19 (essa elevação vale para as operações realizadas a partir de 15/01/2021).

Essa redução de Base de Cálculo (BC) tem por objetivo revitalizar esse importante setor econômico, que vem enfrentando expressiva crise de mercado por não conseguir escoar sua produção, com possibilidade de perda de safra e suas nefastas consequências, bem como gerar "Capital de Giro" para as empresas estabelecidas no território paulista.

Esclarecemos que, para ter direito ao referido benefício fiscal, o contribuinte deverá estar em situação regular perante o Fisco paulista, além de não poder ter débitos fiscais inscritos em Dívida Ativa (DA) do Estado.

Devido à importância do tema para as empresas do setor, veremos no presente Roteiro de Procedimentos as regras envolvendo a redução da Base de Cálculo (BC) do ICMS incidente nas saídas internas de suco de laranja classificado no código 2009.1 da Nomenclatura Comum do Mercosul / Sistema Harmonizado (NCM/SH), em conformidade com a legislação do ICMS do Estado de São Paulo.

Notas Valor Consulting:

(1) O artigo 39, XIII do Anexo II do RICMS/2000-SP, trata da redução da Base de Cálculo (BC) do ICMS incidente nas saídas internas de preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas do Capítulo 20 da TIPI/2022, exceto suco de laranja classificado no código 2009.1 da NCM que está, atualmente, regulada pelo artigo 61 do Anexo II do RICMS/2000-SP.

(2) Referido Decreto foi incorporado no Anexo II do RICMS/2000-SP, através da inserção na norma do artigo 61 neste Anexo.

Base Legal: Decreto nº 58.308/2012; Arts. 39, caput, XIII e 61 do Anexo II do RICMS/2000-SP e; TIPI/2022 (Checado pela Valor em 13/05/22).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2) Vigência:

Originalmente, o governo do Estado de São Paulo estabeleceu que a vigência da redução de Base de Cálculo (BC) incidente nas saídas internas de suco de laranja seria aplicado até 31/12/2013. Porém, o artigo 61, § 3º do Anexo II do RICMS/2000-SP, que estabelecia o prazo de vigência, foi revogado em 27/02/2013 pelo Decreto 58.920/2013, assim sendo, atualmente a referida redução de base tem prazo de validade indeterminado.

Base Legal: Decreto 58.920/2013 e; Art. 61, § 3º do Anexo II do RICMS/2000-SP - Revogado (Checado pela Valor em 13/05/22).

3) Condições para fruição do benefício:

O benefício da redução de Base de Cálculo (BC) do ICMS condiciona-se a que o contribuinte esteja em situação regular perante o Fisco do Estado de São Paulo e, também, que:

  1. não possua, por qualquer de seus estabelecimentos:
    1. débitos fiscais inscritos na Dívida Ativa do Estado de São Paulo;
    2. débitos do imposto declarados e não pagos no prazo de até 30 (trinta) dias contados da data de seu vencimento;
    3. débitos do imposto decorrentes de Auto de Infração e Imposição de Multa (AIIM), em relação ao qual não caiba mais defesa ou recurso na esfera administrativa, não pagos no prazo fixado para o seu recolhimento;
    4. débitos decorrentes de AIIM ainda não julgado definitivamente na esfera administrativa, relativos a crédito indevido do imposto proveniente de operações ou prestações amparadas por benefícios fiscais concedidos sem o amparo de Convênio ICMS celebrado entre os Estados;
  2. na hipótese de o contribuinte não atender ao disposto na letra "a":
    1. os débitos estejam garantidos por depósito, judicial ou administrativo, fiança bancária, seguro de obrigações contratuais ou outro tipo de garantia, a juízo da Procuradoria Geral do Estado, se inscritos na Dívida Ativa, ou a juízo do Coordenador da Administração Tributária, caso ainda pendentes de inscrição;
    2. os débitos declarados ou apurados pelo Fisco sejam objeto de pedido de parcelamento deferido e celebrado, que esteja sendo regularmente cumprido;
    3. o AIIM ainda não julgado definitivamente na esfera administrativa seja garantido por depósito administrativo, fiança bancária, seguro de obrigações contratuais ou outro tipo de garantia, a juízo do Coordenador da Administração Tributária.
Base Legal: Art. 61, § 2º do Anexo II do RICMS/2000-SP (Checado pela Valor em 13/05/22).

3.1) Saídas interestaduais e substituição tributária:

Destacamos que, a redução de Base de Cálculo (BC) tratada neste Roteiro de Procedimentos aplica-se, também, exceto na operação própria praticada por contribuinte sujeito às normas do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), em conformidade com suas disposições, no cálculo do valor do imposto a ser recolhido a título de substituição tributária, quando a redução da Base de Cálculo (BC) for aplicável nas sucessivas operações ou prestações até o consumidor ou usuário final.

Base Legal: Art. 51 do RICMS/2000-SP (Checado pela Valor em 13/05/22).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

4) Estorno de crédito:

Para fruição do benefício, é garantida a manutenção dos créditos originados nas compras de matérias-primas, embalagens e insumos, uma vez que não se exige o estorno proporcional do crédito do ICMS relativo às mercadorias beneficiadas com a redução de BC.

Base Legal: Art. 61, § 1º do Anexo II do RICMS/2000-SP (Checado pela Valor em 13/05/22).

5) Determinação da Base de Cálculo (BC):

A partir de 15/01/2020 a Base de Cálculo (BC) do ICMS incidente nas saídas internas de suco de laranja classificado no código 2009.1 da NCM, fica reduzida de forma que a carga tributária do imposto corresponda a 13,3% (treze inteiros e três décimos por cento).

Dessa forma, para se encontrar a carga tributária correspondente ao percentual acima, e considerando que a alíquota interna desse produto no Estado de São Paulo é de 18% (dezoito por cento), temos o percentual de redução na Base de Cálculo (BC) de 26,11% (3).

Nota Valor Consulting:

(3) (100% - (13,3%/18%)) X 100 = 26,11%

Base Legal: Art. 61, caput do Anexo II do RICMS/2000-SP e; Decreto nº 65.255/2020 (Checado pela Valor em 13/05/22).

5.1) Exemplo Prático:

A título de exemplo, suponhamos que uma indústria de suco de laranja tenha efetuado à venda de 1.000 (Um mil) caixas de suco de laranja a um valor unitário de R$ 4,50 (quatro reais e cinquenta centavos) e que a carga tributária da operação seja de 13,3% (treze inteiros e três décimos por cento), ou seja, com redução de 26,11%. Assim, teremos a seguinte Base de Cálculo (BC) do ICMS:

DescriçãoValores
Carga Tributária:13,3%
Valor Total da operação:(1.000 X R$ 4,50) = R$ 4.500,00
Redução na Base de Cálculo:26,11%
Base de Cálculo Reduzida:(R$ 4.500,00 - 26,11%) = R$ 3.325,05
ICMS devido:(R$ 3.325,05 X 18%) = R$ 598,51

Nota Valor Consulting:

(4) Para efeito de simplificação, não consideramos no cálculo o valor do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), quando aplicável.

Base Legal: Equipe Valor Consulting.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

6) Produtos beneficiados:

A redução da Base de Cálculo (BC) do ICMS aqui tratada se aplica às mercadorias enquadradas nos seguintes códigos NCM/SH:

NCM/SHDescrição
2009.1Suco (sumo) de laranja:
2009.11.00Congelado.
2009.12.00Não congelado, com valor Brix não superior a 20.
2009.19.00Outros.

Nota Valor Consulting:

(5) Registramos que o grupo "20.09 (ou 2009)" da TIPI/2022 refere-se a sucos (sumos) de fruta (incluindo os mostos de uvas e a água de coco) ou de produtos hortícolas, não fermentados, sem adição de álcool, mesmo com adição de açúcar ou de outros edulcorantes

Base Legal: TIPI/2022 (Checado pela Valor em 13/05/22).
Informações Adicionais:

Este material foi escrito no dia pelo(a) Valor Consulting e está atualizado até a doutrina e legislação vigente em (data da sua última atualização), sujeitando-se, portanto, às mudanças em decorrência das alterações doutrinárias e legais.

Lembramos que não é permitido a utilização dos materiais aqui publicados para fins comerciais, pois os mesmos estão protegidos por direitos autorais. Também não é permitido copiar os artigos, materias e arquivos do Portal Valor Consulting para outro site, sistema ou banco de dados para fins de divulgação em sites, revistas, jornais, etc. de terceiros sem a autorização escrita dos proprietários do Portal Valor Consulting.

A utilização para fins exclusivamente educacionais é permitida, desde que indicada a fonte:

"Valor Consulting. Redução de Base de Cálculo (BC) do ICMS: Suco de Laranja (Área: ICMS São Paulo). Disponível em: https://www.valor.srv.br/artigo.php?id=135&titulo=reducao-de-base-de-calculo-do-icms-suco-de-laranja. Acesso em: 17/05/2022."

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Redução de Base de Cálculo (BC) do ICMS: Critérios para cálculo do ICMS devido

No presente Roteiro de Procedimentos apresentamos para nossos leitores os critérios a serem observados para calcular o ICMS devido em operações ou prestações amparas pelo benefício fiscal denominado redução de Base de Cálculo (BC), com fundamento no Anexo II do Regulamento do ICMS (RICMS/2000-SP), aprovado pelo Decreto nº 45.490/2000. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: ICMS São Paulo


Substituição de GIA-ICMS

Veremos neste mini Roteiro os procedimentos previstos no Estado de São Paulo para substituição da Guia de Informação e Apuração do ICMS (GIA-ICMS), para tanto, utilizaremos como base de informação os artigos 17 a 19 do Anexo IV da Portaria CAT nº 92/1998, que tratam especificamente sobre a substituição dessa obrigação acessória. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: ICMS São Paulo


Contribuintes e responsáveis perante a legislação do ICMS paulista

Veremos neste Roteiro, quais são as pessoas consideradas contribuintes do ICMS e quem a legislação atribui a responsabilidade pelo cumprimento das obrigações decorrentes dos atos praticados. Utilizaremos como base o Regulamento do ICMS do Estado de São Paulo (RICMS/2000-SP), aprovado pelo Decreto nº 45.490/2000. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: ICMS São Paulo


Leilão de mercadorias

Analisaremos no presente Roteiro os procedimentos fiscais relativo ao leilão de mercadorias, o qual é regulamentado e amparado por legislação específica, qual seja, o Decreto nº 21.981/1932 e a Lei nº 4.021/1961, esta no caso de leilão rural. No Estado, o leilão é coordenado pela Junta Comercial, que é o órgão responsável pela fiscalização. Nesse trabalho, analisaremos os requisitos para a realização do leilão, as modalidades existentes, pagamento do impos (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: ICMS São Paulo


Nota Fiscal Complementar de importação

Estudaremos, em detalhes, no presente Roteiro de Procedimentos o que a legislação paulista do ICMS tem a nos dizer sobre a NF-e Complementar de importação, veremos quando esse documento deverá ser emitido e quais custos e despesas compõem seu "Valor Total". Para tanto, utilizaremos como base de estudo o Regulamento do ICMS (RICMS/2000-SP), aprovado pelo Decreto nº 45.490/2000, a Decisão Normativa CAT nº 1/2015, a Decisão Normativa CAT nº 6/2015, bem como outras fon (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: ICMS São Paulo


Sistemas inteligentes do Governo de SP facilitam pagamento de impostos

A Secretaria da Fazenda e Planejamento (Sefaz-SP) trabalha, desde 2019, para desburocratizar seus processos, desenvolvendo procedimentos cada vez mais simples, automatizados e que exijam menos providências por parte dos contribuintes. A nova cultura de melhoria contínua aliada à inteligência de dados e ao uso de métodos ágeis possibilitou a entrega de sistemas mais amigáveis e inteligentes, além de processos mais enxutos. Com isso, ganha-se cada vez mais celeridade (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Sefaz-SP e PGE parcelam débitos de ICMS em até 60 meses

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Fazenda e Planejamento (Sefaz-SP) e da Procuradoria Geral do Estado (PGE), atualizou a norma que garante aos contribuintes a possibilidade de parcelar o pagamento de débitos de ICMS, inscritos ou não na dívida ativa. As regras gerais estão dispostas na Resolução Conjunta SFP/PGE nº 2/2021, publicada no Diário oficial do Estado desta quinta-feira (30). A principal novidade é a possibilidade de parcelament (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Governo de São Paulo anuncia redução de ICMS e desoneração fiscal

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Fazenda e Planejamento (Sefaz-SP), reduzirá a carga tributária de ICMS de setores geradores de empregos, a partir de janeiro de 2022. O anúncio ocorreu em coletiva, nesta quarta-feira (29), no Palácio dos Bandeirantes, com a presença do Governador João Doria, do vice-governador Rodrigo Garcia e do secretário da Fazenda e Planejamento, Henrique Meirelles. Para Meirelles, o novo pacote fiscal para apoiar (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Secretaria da Fazenda avança na desburocratização de processos

A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo (Sefaz) trabalha continuamente para desburocratizar seus processos, desenvolvendo procedimentos cada vez mais simples, automatizados e que exijam menos providências por parte dos contribuintes. Para que as modernizações sejam implementadas, vários setores da Sefaz se integraram, como o que aconteceu com as equipes das diretorias de Arrecadação, Cobrança e Recuperação da Dívida (Dicar); a de Atendiment (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Os impactos da ADC STF nº 49: As inconstitucionalidades de dispositivos da Lei Kandir (ICMS sobre transferências entre estabelecimentos)

Por Cleberson Vasconcelos, supervisor fiscal | Indirect Tax Supervisor at Grendene S/A. 1) Introdução: Recentemente o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a não incidência de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no deslocamento de mercadorias entre estabelecimentos do mesmo contribuinte. Ao reiterar jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do próprio STF sobre a matéria, a Corte Superior julgou improcedente a aç (...)

Artigo postado em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Fazenda inicia fase de monitoramento fiscal de contribuintes do Simples Nacional

A Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, a partir de hoje (19), estende aos contribuintes optantes do Simples Nacional o monitoramento e a análise dos documentos fiscais que já vinham sendo realizados para os contribuintes do regime normal de apuração. A ação, que tem por objetivo identificar indícios de comportamento irregular em empresas enquadradas no Simples Nacional, ocorre após a primeira etapa da campanha Empreenda Legal, promovida em par (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Inovação do Confaz Permite ao Caminhoneiro Emitir Documentos de Transportes e Carregar ICMS Pré-pago a Partir do Smartphone

Na sua reunião de hoje, dia 8, o CONFAZ autorizou importantes medidas. Presidida pelo Secretário Especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, foi aprovado Ajuste SINIEF que autoriza os estados e o DF a implementarem o ICMS pré-pago. Isso foi mais uma etapa o trabalho realizado pelo CONFAZ e pelas secretarias estaduais de fazenda, que estão implantando um novo aplicativo que já permite ao caminhoneiro emitir seus documentos fiscais de tran (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Estadual (ICMS São Paulo)


Ajude o Portal:

Me chamo Raphael, sou o idealizador desse Portal. Aqui, todas as publicações são de livre acesso e gratuitas, sendo que a ajuda que recebemos dos leitores é uma das nossas poucas fontes de renda. Devido aos altos custos, estamos com dificuldades em mantê-lo, assim, pedimos sua ajuda.

Doações via Pix:

Que tal a proposta: Acessou um conteúdo e gostou, faça um Pix para nos ajudar:

Doações mensais:

Cadastre-se na lista de doadores mensais. A doação é realizada através de ambiente seguro, protegido e pode ser cancelada a qualquer momento:



Transferências bancárias e parcerias:

Se prefirir efetuar transferência bancária, entre em contato pelo fale Conosco e solicite os dados bancários. Também estamos abertos para parcerias.

Resumo dos indicadores econômicos e financeiros
Indicador Órgão Abr/21 Mai/21 Jun/21 Jul/21 Ago/21 Set/21 Out/21 Nov/21 Dez/21 Jan/22 Fev/22 Mar/22 Abr/22 Mai/22
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
ICV DIEESE 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
IPC-M FGV 0,44 0,61 0,57 0,83 0,75 1,19 1,05 0,93 0,84 0,42 0,33 0,86 1,53
IPC-DI FGV 0,23 0,81 0,64 0,92 0,71 1,43 0,77 1,08 0,57 0,49 0,28 1,35 1,08
IPC-10 FGV 0,87 0,35 0,72 0,70 0,88 0,93 1,26 0,79 1,08 0,40 0,39 0,47 1,67
IPA-M FGV 1,84 5,23 0,42 0,71 0,66 -1,21 0,53 -0,29 0,95 2,30 2,36 2,07 1,45
IPA-DI FGV 2,90 4,20 -0,26 1,65 -0,42 -1,17 1,90 -1,16 1,54 2,57 1,94 2,80 0,19
IPA-10 FGV 1,79 4,20 2,64 -0,07 1,29 -0,76 -0,77 1,31 -0,51 2,27 2,51 1,44 2,81
INCC-M FGV 0,95 1,80 2,30 1,24 0,56 0,56 0,80 0,71 0,30 0,64 0,48 0,73 0,87
INCC-DI FGV 0,90 2,22 2,16 0,85 0,46 0,51 0,86 0,67 0,35 0,71 0,38 0,86 0,95
INCC-10 FGV 1,24 1,02 2,81 1,37 0,79 0,43 0,53 0,95 0,54 0,50 0,61 0,34 1,17
IGP-M FGV 1,51 4,10 0,60 0,78 0,66 -0,64 0,64 0,02 0,87 1,82 1,83 1,74 1,41
IGP-DI FGV 2,22 3,40 0,11 1,45 -0,14 -0,55 1,60 -0,58 1,25 2,01 1,50 2,37 0,41
IGP-10 FGV 1,58 3,24 2,32 0,18 1,18 -0,37 -0,31 1,19 -0,14 1,79 1,98 1,18 2,48
IPC FIPE 0,44 0,41 0,81 1,02 1,44 1,13 1,00 0,72 0,57 0,74 0,90 1,28 1,62
IPP IBGE 2,19 0,99 1,29 1,86 1,89 0,25 2,26 1,46 -0,08 1,20 0,54 3,13
IPCA-15 IBGE 0,60 0,44 0,83 0,72 0,89 1,14 1,20 1,17 0,78 0,58 0,99 0,95 1,73
IPCA IBGE 0,31 0,83 0,53 0,96 0,87 1,16 1,25 0,95 0,73 0,54 1,01 1,62 1,06
INPC IBGE 0,38 0,96 0,60 1,02 0,88 1,20 1,16 0,84 0,73 0,67 1,00 1,71 1,04
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Poupança Bacen 0,1590 0,1590 0,2019 0,2446 0,2446 0,3012 0,3575 0,4412 0,4902 0,5608 0,5000 0,5976 0,5558
TBF Bacen 0,2404 0,2737 0,2891 0,3798 0,4248 0,4221 0,5046 0,5927 0,7191 0,7609 0,7272 0,8678 0,8159
TJLP Bacen 0,3842 0,3842 0,3842 0,4067 0,4067 0,4067 0,4433 0,4433 0,4433 0,5067 0,5067 0,5067 0,5683 0,5683
CDI Cetip 0,2078 0,2703 0,3078 0,3556 0,4279 0,4420 0,4860 0,5868 0,7691 0,7323 0,7550 0,9271 0,8343
Selic RFB 0,21 0,27 0,31 0,36 0,43 0,44 0,49 0,59 0,77 0,73 0,76 0,93 0,83
Indicadores diversos (em Reais)
UPC Bacen 23,54 23,54 23,54 23,54 23,54 23,54 23,54 23,54 23,54 23,55 23,55 23,55 23,59 23,59
Minimo Federal 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00
Teto INSS Federal 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22
UFESP Sefaz/SP 29,09 29,09 29,09 29,09 29,09 29,09 29,09 29,09 29,09 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97
Resumo dos indicadores econômicos e financeiros
Indicador Órgão Jan/22 Fev/22 Mar/22 Abr/22 Mai/22
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
ICV DIEESE 0,00 0,00 0,00 0,00
IPC-M FGV 0,42 0,33 0,86 1,53
IPC-DI FGV 0,49 0,28 1,35 1,08
IPC-10 FGV 0,40 0,39 0,47 1,67
IPA-M FGV 2,30 2,36 2,07 1,45
IPA-DI FGV 2,57 1,94 2,80 0,19
IPA-10 FGV 2,27 2,51 1,44 2,81
INCC-M FGV 0,64 0,48 0,73 0,87
INCC-DI FGV 0,71 0,38 0,86 0,95
INCC-10 FGV 0,50 0,61 0,34 1,17
IGP-M FGV 1,82 1,83 1,74 1,41
IGP-DI FGV 2,01 1,50 2,37 0,41
IGP-10 FGV 1,79 1,98 1,18 2,48
IPC FIPE 0,74 0,90 1,28 1,62
IPP IBGE 1,20 0,54 3,13
IPCA-15 IBGE 0,58 0,99 0,95 1,73
IPCA IBGE 0,54 1,01 1,62 1,06
INPC IBGE 0,67 1,00 1,71 1,04
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Poupança Bacen 0,5608 0,5000 0,5976 0,5558
TBF Bacen 0,7609 0,7272 0,8678 0,8159
TJLP Bacen 0,5067 0,5067 0,5067 0,5683 0,5683
CDI Cetip 0,7323 0,7550 0,9271 0,8343
Selic RFB 0,73 0,76 0,93 0,83
Indicadores diversos (em Reais)
UPC Bacen 23,55 23,55 23,55 23,59 23,59
Minimo Federal 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00
Teto INSS Federal 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22
UFESP Sefaz/SP 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97