Alíquota Zero do PIS/Pasep e Cofins: Aparelhos ortopédicos e equipamentos para portadores de deficiência física

Resumo:

O Governo Federal objetivando incrementar a atuação estatal na assistência a pessoas com deficiência, almejando acelerar e universalizar o processo de inclusão social e digital das pessoas portadoras de necessidades especiais, reduziu a 0% (zero) as alíquotas das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins incidentes sobre a importação e sobre a receita de comercialização no mercado interno de aparelhos ortopédicos e equipamentos destinados a beneficiar essas pessoas. Assim, veremos neste Roteiro de Procedimentos quais são os aparelhos ortopédicos e equipamentos beneficiados pela alíquota 0% (zero) pelo artigo 8º, § 12 da Lei nº 10.865/2004.

Hashtags: #pis, #pasep, #cofins, #aliquotaZero, #aparelhoOrtopedico, #equipamentoDeficienciaFisica, #deficienciaFisica,

Postado em: - Área: PIS/Pasep e Cofins.

1) Introdução:

O Governo Federal objetivando incrementar a atuação estatal na assistência a pessoas com deficiência, almejando acelerar e universalizar o processo de inclusão social e digital das pessoas portadoras de necessidades especiais, reduziu a 0% (zero por cento) as alíquotas das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins incidentes sobre a importação e sobre a receita de comercialização no mercado interno de determinados produtos destinados a beneficiar essas pessoas.

Essa benesse foi incluída no artigo 8º, § 12 da Lei nº 10.865/2004, que trata da redução a 0% (zero) das alíquotas das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins incidentes sobre uma grande gama de produtos, inclusive sobre a importação e sobre a receita de comercialização no mercado interno de alguns aparelhos e equipamentos para portadores de deficiência física. A inclusão se deu mediante alteração da citada legislação pelo artigo 42 da Lei nº 12.058/2009, artigo 1º da 12.649/2012 e mais recentemente o artigo 3º da Lei nº 12.995/2014.

Interessante observar que esse incentivo encontra-se respaldado pela própria carta magna brasileira, o qual estabelece que é dever do Estado proporcionar tratamento diferenciado e favorecido às mencionadas pessoas, conforme prescreve os artigos 23, II e 24, XIV da Constituição Federal/1988:

Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios:

(...)

II - cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência;

(...)


Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:

(...)

XIV - proteção e integração social das pessoas portadoras de deficiência;

(...)

Nesse sentido, foram desonerados da incidência das referidas contribuições a importação e a receita decorrente da comercialização no mercado interno de produtos extremamente úteis e necessários para seus usuários, tais quais próteses oculares, implantes cocleares, lupas eletrônicas, acionadores de pressão, digitalizadores de imagens (scanners) equipados com sintetizador de voz, linhas braile, calculadoras equipadas com sintetizador de voz, impressoras braile, máquinas braile, entre outros.

Assim, devido a importância do assunto, veremos neste Roteiro de Procedimentos quais são os aparelhos ortopédicos e equipamentos beneficiados pela alíquota 0% (zero por cento) das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins. No final do trabalho, listaremos todos os produtos beneficiado por Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM).

Nota Valor Consulting:

(1) Lembramos que as mudanças na legislação tributária são muito frequentes no Brasil, assim, este trabalho lista os produtos beneficiados até a data da criação desse Roteiro de Procedimentos, devendo o contribuinte ficar atento a eventuais alterações na legislação, bem como a possível extinção futura da benesse.

Base Legal: Arts. 23, caput, II e 24, caput, XIV da Constituição Federal/1988; Art. 8º, § 12 da Lei nº 10.865/2004; Art. 42 da Lei nº 12.058/2009; Exposição de motivos da MP nº 462/2009; Art. 1º da Lei nº 12.649/2012 e; Art. 3º da Lei nº 12.995/2014 (Checado pela Valor em 01/08/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2) Alíquota 0% (zero):

Regra geral, as alíquotas das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins são de:

  1. 1,65% (um inteiro e sessenta e cinco centésimos por cento), para o PIS/Pasep; e
  2. 7,6% (sete inteiros e seis décimos por cento), para a Cofins.

Acontece que em alguns casos a legislação reduz à 0% (zero por cento) essas alíquotas, como, por exemplo, sobre a importação e a receita de comercialização de alguns aparelhos e equipamentos para portadores de deficiência física. Assim, estão reduzidas a 0% (zero por cento) as alíquotas das contribuições para o PIS/Pasep e para a Cofins incidentes sobre a venda no mercado interno e sobre a importação dos seguintes produtos:

  1. desde 01/01/2010:
    1. produtos classificados na posição 87.13 da NCM;
    2. artigos e aparelhos ortopédicos ou para fraturas classificados no código 90.21.10 da NCM;
    3. artigos e aparelhos de próteses classificados no código 90.21.3 da NCM;
    4. almofadas antiescaras classificadas nos Capítulos 39, 40, 63 e 94 da NCM;
  2. desde 18/11/2011:
    1. produtos classificados nos códigos 8443.32.22, 8469.00.39 Ex 01, 8714.20.00, 9021.40.00, 9021.90.82 e 9021.90.92, todos da Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (TIPI/2016), aprovada pelo Decreto no 7.660/2011;
    2. calculadoras equipadas com sintetizador de voz classificadas no código 8470.10.00 Ex 01 da TIPI/2016;
    3. teclados com adaptações específicas para uso por pessoas com deficiência, classificados no código 8471.60.52 da TIPI/2016;
    4. indicador ou apontador - mouse - com adaptações específicas para uso por pessoas com deficiência, classificado no código 8471.60.53 da TIPI/2016;
    5. linhas braile classificadas no código 8471.60.90 Ex 01 da TIPI/2016;
    6. digitalizadores de imagens - scanners - equipados com sintetizador de voz classificados no código 8471.90.14 Ex 01 da TIPI/2016;
    7. duplicadores braile classificados no código 8472.10.00 Ex 01 da TIPI/2016;
    8. acionadores de pressão classificados no código 8471.60.53 Ex 02 da TIPI/2016;
    9. lupas eletrônicas do tipo utilizado por pessoas com deficiência visual classificadas no código 8525.80.19 Ex 01 da TIPI/2016;
    10. implantes cocleares classificados no código 9021.40.00 da TIPI/2016;
    11. próteses oculares classificadas no código 9021.39.80 da TIPI/2016;
    12. programas - softwares - de leitores de tela que convertem texto em voz sintetizada para auxílio de pessoas com deficiência visual;
    13. aparelhos contendo programas - softwares - de leitores de tela que convertem texto em caracteres braile, para utilização de surdos-cegos;
    14. neuroestimuladores para tremor essencial/Parkinson, classificados no código 9021.90.19, e seus acessórios, classificados nos códigos 9018.90.99, 9021.90.91 e 9021.90.99, todos da TIPI/2016.

Lembramos que o Poder Executivo poderá regulamentar a utilização do referido benefício fiscal.

Base Legal: Arts. 8º, § 12 e 28, caput, XVIII a XXI e XXIV a XXXVIII, § único da Lei nº 10.865/2004 (Checado pela Valor em 01/08/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

3) Classificação na TIPI/2016:

Código de Classificação da TIPI/2016
CódigoDescrição
87.13 Cadeiras de rodas e outros veículos para pessoas com incapacidade, mesmo com motor ou outro mecanismo de propulsão.
90.21 Artigos e aparelhos ortopédicos, incluindo as cintas e fundas (ligaduras*) médico-cirúrgicas e as muletas; talas, goteiras e outros artigos e aparelhos para fraturas; artigos e aparelhos de prótese; aparelhos para facilitar a audição dos surdos e outros aparelhos para compensar uma deficiência ou uma incapacidade, destinados a serem transportados à mão ou sobre as pessoas ou a serem implantados no organismo.
9021.10 Artigos e aparelhos ortopédicos ou para fraturas.
9021.3 Outros artigos e aparelhos de prótese.
39 Almofadas antiescaras classificadas no Capítulo 39 (Plásticos e suas obras).
40 Almofadas antiescaras classificadas no Capítulo 40 (Borracha e suas obras).
63 Almofadas antiescaras classificadas no Capítulo 63 (Outros artigos têxteis confeccionados; sortidos; artigos de matérias têxteis e artigos de uso semelhante, usados; trapos).
94 Almofadas antiescaras classificadas no Capítulo 94 (Móveis; mobiliário médico-cirúrgico; colchões, almofadas e semelhantes; aparelhos de iluminação não especificados nem compreendidos noutros Capítulos; anúncios, cartazes ou tabuletas e placas indicadoras, luminosos e artigos semelhantes; construções pré-fabricadas).
84.43 Máquinas e aparelhos de impressão por meio de blocos, cilindros e outros elementos de impressão da posição 84.42; outras impressoras, aparelhos de copiar e aparelhos de telecopiar (fax), mesmo combinados entre si; partes e acessórios.
8443.32 Outros, capazes de ser conectados a uma máquina automática para processamento de dados ou a uma rede.
8443.32.22 Impressoras de impacto de caracteres Braille.
8469.00 Excluído da TIPI/2016.
8469.00.39 Ex 01 (Excluído da TIPI/2016), 8714.20.00, 9021.40.00, 9021.90.82 e 9021.90.92 Outras máquinas de escrever.
Ex 01 - Em Braille.
8470 Máquinas de calcular e máquinas de bolso que permitam gravar, reproduzir e visualizar informações, com função de cálculo incorporada; máquinas de contabilidade, máquinas de franquear, de emitir bilhetes e máquinas semelhantes, com dispositivo de cálculo incorporado; caixas registradoras.
8470.10.00 Ex 01 Calculadoras eletrônicas capazes de funcionar sem fonte externa de energia elétrica e máquinas de bolso com função de cálculo incorporada que permitam gravar, reproduzir e visualizar informações.
Ex 01 - Calculadora equipada com sintetizador de voz.
8471.60.52 Teclados.
Ex 01 - Com colmeia.
8471.60.53 Indicadores ou apontadores - mouse e track-ball, por exemplo.
8471.60.90 Ex 01 Outras.
Ex 01 - Linha braile.
8471.90.14 Ex 01 Digitalizadores de imagens - scanners.
Ex 01 - Equipados com sintetizador de voz.
8472.10.00 Duplicadores.
85.25 Aparelhos transmissores (emissores) para radiodifusão ou televisão, mesmo que incorporem um aparelho receptor ou um aparelho de gravação ou de reprodução de som; câmeras de televisão, câmeras fotográficas digitais e câmeras de vídeo.
8225.80 Câmeras de televisão, câmeras fotográficas digitais e câmeras de vídeo.
8225.80.19 Ex 01 Outras.
Ex 01 - Lupa eletrônica do tipo utilizado por pessoas com deficiência visual.
9021 Artigos e aparelhos ortopédicos, incluindo as cintas e fundas (ligaduras*) médico-cirúrgicas e as muletas; talas, goteiras e outros artigos e aparelhos para fraturas; artigos e aparelhos de prótese; aparelhos para facilitar a audição dos surdos e outros aparelhos para compensar uma deficiência ou uma incapacidade, destinados a serem transportados à mão ou sobre as pessoas ou a serem implantados no organismo.
9021.39.80 Outros.
9021.40.00 Aparelhos para facilitar a audição dos surdos, exceto as partes e acessórios.
9021.90.19 Outros.
9021.90.91 De marca-passos cardíacos.
9018.90.99 Outros.
Base Legal: TIPI/2016 (Checado pela Valor em 01/08/21).
Informações Adicionais:

Este material foi escrito no dia pelo(a) Valor Consulting e está atualizado até a doutrina e legislação vigente em (data da sua última atualização), sujeitando-se, portanto, às mudanças em decorrência das alterações doutrinárias e legais.

Lembramos que não é permitido a utilização dos materiais aqui publicados para fins comerciais, pois os mesmos estão protegidos por direitos autorais. Também não é permitido copiar os artigos, materias e arquivos do Portal Valor Consulting para outro site, sistema ou banco de dados para fins de divulgação em sites, revistas, jornais, etc. de terceiros sem a autorização escrita dos proprietários do Portal Valor Consulting.

A utilização para fins exclusivamente educacionais é permitida, desde que indicada a fonte:

"Valor Consulting. Alíquota Zero do PIS/Pasep e Cofins: Aparelhos ortopédicos e equipamentos para portadores de deficiência física (Área: PIS/Pasep e Cofins). Disponível em: https://www.valor.srv.br/artigo.php?id=207&titulo=aliquota-zero-pis-pasep-cofins-aparelhos-ortopedicos-equipamentos-para-portadores-de-deficiencia-fisica. Acesso em: 03/10/2022."

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Regime de tributação monofásica

Em algumas operações, onde é extremamente difícil a fiscalização por parte da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), nosso legislador achou por bem tributá-las de forma diferenciada. Para essas operações o legislador criou o regime monofásico para tributação das contribuições destinadas ao PIS/Pasep e a Cofins. Assim, determinados produtos passaram a ter suas alíquotas majoradas quando da saída de empresa que os tenha industrializado ou importado. Est (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: PIS/Pasep e Cofins


Códigos de Recolhimento da contribuição para o PIS/Pasep a ser utilizado no Darf

No campo 04 do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), campo este denominado de Código de Receita (CR), deve ser informado o código correspondente ao tributo Federal (contribuição, imposto ou taxa) que está sendo recolhido aos cofres do Governo, conforme a Tabela de Códigos publicada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), órgão responsável pela cobrança dos tributos Federais. No caso da contribuição para o PIS/Pasep devem ser utilizado (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: PIS/Pasep e Cofins


Locação de mão de obra temporária: Tributação dos valores recebidos pelas empresas de trabalho temporário para pagamento de salários e encargos

Analisaremos no presente artigo a tributação, pelas contribuições para o PIS/Pasep e Cofins, dos valores recebidos pelas empresas de trabalho temporário para pagamento de salários e encargos sociais. Para tanto, utilizaremos como fundamento a Lei nº 6.019/1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas, bem como a Solução de Consulta Cosit nº 303/2018 que bem esclarece o assunto. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: PIS/Pasep e Cofins


Códigos de Recolhimento da contribuição para a Cofins a ser utilizado no Darf

No campo 04 do Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), campo este denominado de Código de Receita (CR), deve ser informado o código correspondente ao tributo Federal (contribuição, imposto ou taxa) que está sendo recolhido aos cofres do Governo, conforme a Tabela de Códigos publicada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), órgão responsável pela cobrança dos tributos Federais. No caso da contribuição para a Cofins devem ser utilizados o (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: PIS/Pasep e Cofins


E os créditos com a exclusão do ICMS da Base de Cálculo do PIS/COFINS?

Artigo de Renan Melo Silva tecendo comentários à respeito da exclusão do ICMS das Bases de Cálculo (BC) das contribuições para o PIS/Pasep e Cofins. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: PIS/Pasep e Cofins


Receita Federal divulga entendimento a respeito do crédito de PIS/Pasep e Cofins sobre gastos com vale-transporte de funcionários

Segundo a Divisão de Tributação da Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil (Disit) nº 3, o gasto custeado pelo empregador com vale-transporte fornecido a seus funcionários que trabalham diretamente na produção de bens ou na prestação de serviços, por ser despesa decorrente de imposição legal, pode ser considerado insumo, para fins do desconto de crédito das contribuições para a Cofins e o PIS/Pasep. Referido entendimento foi exarado na Soluç (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (PIS e Cofins)


Receita Federal autoriza créditos de PIS/Pasep e Cofins sobre as aquisições de álcool em gel, luvas e máscaras de proteção contra a COVID-19

Através da Solução de Consulta Cosit nº 164/2021, a Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) veio esclarecer que o álcool em gel, luvas e máscaras de proteção contra a COVID-19 fornecidos trabalhadores por ela alocados nas suas atividades de produção de bens podem ser considerados insumos para fins da apropriação de créditos na apuração não cumulativa das contribuições para o PIS/Pasep e Cofins durante o período em que a legislação de combate à refe (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (PIS e Cofins)


PGFN define os procedimentos para cumprimento da decisão sobre a exclusão do ICMS da base de cálculo das contribuições - Parecer SEI nº 7698/2021

MINISTÉRIO DA ECONOMIA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional Procuradoria-Geral Adjunta de Consultoria e Estratégia da Representação Judicial Coordenação-Geral da Representação Judicial da Fazenda Nacional Coordenação de Consultoria Judicial PARECER SEI Nº 7698/2021/ME Documento Público. Ausência de sigilo. Recurso Extraordinário nº 574.706/PR. Julgamento do Tema nº 69 de Repercussão Geral, com fixação da tese: "O ICMS não compõe a b (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (PIS e Cofins)


PIS e Cofins incidem sobre royalties de tecnologia desenvolvida por cooperativa agrícola de pesquisa

As receitas de royalties provenientes de atividades próprias de cooperativa de desenvolvimento científico e tecnológico do setor agropecuário devem integrar a base de cálculo das contribuições ao PIS e à Cofins. Aplicando esse entendimento em decisão unânime, a Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) deu provimento a recurso especial interposto pela Fazenda Nacional para garantir o recolhimento de PIS e Cofins sobre os royalties auferidos por uma co (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (PIS e Cofins)


Ajude o Portal:

Me chamo Raphael AMARAL, sou o idealizador desse Portal. Aqui, todas as publicações são de livre acesso e gratuitas, sendo que a ajuda que recebemos dos leitores é uma das nossas poucas fontes de renda. Devido aos altos custos, estamos com dificuldades em mantê-lo, assim, pedimos sua ajuda.

Doações via Pix:

Que tal a proposta: Acessou um conteúdo e gostou, faça um Pix para nos ajudar:

Doações mensais:

Cadastre-se na lista de doadores mensais. A doação é realizada através de ambiente seguro, protegido e pode ser cancelada a qualquer momento:



Transferências bancárias e parcerias:

Se prefirir efetuar transferência bancária, entre em contato pelo fale Conosco e solicite os dados bancários. Também estamos abertos para parcerias.

Resumo dos indicadores econômicos e financeiros
Indicador Órgão Set/21 Out/21 Nov/21 Dez/21 Jan/22 Fev/22 Mar/22 Abr/22 Mai/22 Jun/22 Jul/22 Ago/22 Set/22 Out/22
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
IBC-Br Bacen -0,23 0,41 0,89 0,63 -0,58 1,08 1,17 -0,36 -0,27 0,93 1,17
ICV DIEESE 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
IVAR FGV -0,88 -0,07 0,79 0,66 1,86 2,92 0,81 0,82 0,59 -0,31 1,05 1,76
IPC-M FGV 1,19 1,05 0,93 0,84 0,42 0,33 0,86 1,53 0,35 0,71 -0,28 -1,18 -0,08
IPC-DI FGV 1,43 0,77 1,08 0,57 0,49 0,28 1,35 1,08 0,50 0,67 -1,19 -0,57
IPC-10 FGV 0,93 1,26 0,79 1,08 0,40 0,39 0,47 1,67 0,54 0,72 0,42 -1,56 -0,14
IPA-M FGV -1,21 0,53 -0,29 0,95 2,30 2,36 2,07 1,45 0,45 0,30 0,21 -0,71 -1,27
IPA-DI FGV -1,17 1,90 -1,16 1,54 2,57 1,94 2,80 0,19 0,55 0,44 -0,32 -0,63
IPA-10 FGV -0,76 -0,77 1,31 -0,51 2,27 2,51 1,44 2,81 -0,08 0,47 0,57 -0,65 -1,18
INCC-M FGV 0,56 0,80 0,71 0,30 0,64 0,48 0,73 0,87 1,49 2,81 1,16 0,33 0,10
INCC-DI FGV 0,51 0,86 0,67 0,35 0,71 0,38 0,86 0,95 2,28 2,14 0,86 0,09
INCC-10 FGV 0,43 0,53 0,95 0,54 0,50 0,61 0,34 1,17 0,74 3,29 1,26 0,74 -0,02
IGP-M FGV -0,64 0,64 0,02 0,87 1,82 1,83 1,74 1,41 0,52 0,59 0,21 -0,70 -0,95
IGP-DI FGV -0,55 1,60 -0,58 1,25 2,01 1,50 2,37 0,41 0,69 0,62 -0,38 -0,55
IGP-10 FGV -0,37 -0,31 1,19 -0,14 1,79 1,98 1,18 2,48 0,10 0,74 0,60 -0,69 -0,90
IPC FIPE 1,13 1,00 0,72 0,57 0,74 0,90 1,28 1,62 0,42 0,28 0,16 0,12
IPP IBGE 0,25 2,26 1,46 -0,08 1,20 0,54 3,12 2,08 1,81 1,01 1,13 -3,11
IPCA-15 IBGE 1,14 1,20 1,17 0,78 0,58 0,99 0,95 1,73 0,59 0,69 0,13 -0,73 -0,37
IPCA IBGE 1,16 1,25 0,95 0,73 0,54 1,01 1,62 1,06 0,47 0,67 -0,68 -0,36
INPC IBGE 1,20 1,16 0,84 0,73 0,67 1,00 1,71 1,04 0,45 0,62 -0,60 -0,31
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Poupança Bacen 0,3012 0,3575 0,4412 0,4902 0,5608 0,5000 0,5976 0,5558 0,6671 0,6491 0,6639 0,7421 0,6814
TBF Bacen 0,4221 0,5046 0,5927 0,7191 0,7609 0,7272 0,8678 0,8159 0,9776 0,9496 0,9844 1,0929 1,0020
TJLP Bacen 0,4067 0,4433 0,4433 0,4433 0,5067 0,5067 0,5067 0,5683 0,5683 0,5683 0,5842 0,5842 0,5842
TR Bacen 0,0000 0,0000 0,0000 0,0488 0,0605 0,0000 0,0971 0,0555 0,1663 0,1484 0,1631 0,2409 0,1805
CDI Cetip 0,4420 0,4860 0,5868 0,7691 0,7323 0,7550 0,9271 0,8343 1,0346 1,0153 1,0349 1,1694
Selic RFB 0,44 0,49 0,59 0,77 0,73 0,76 0,93 0,83 1,03 1,02 1,03 1,17
Indicadores diversos (em Reais)
UPC Bacen 23,54 23,54 23,54 23,54 23,55 23,55 23,55 23,59 23,59 23,59 23,67 23,67 23,67
Minimo Federal 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.100,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00
Teto INSS Federal 6.433,57 6.433,57 6.433,57 6.433,57 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22
UFESP Sefaz/SP 29,09 29,09 29,09 29,09 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97
Resumo dos indicadores econômicos e financeiros
Indicador Órgão Jun/22 Jul/22 Ago/22 Set/22 Out/22
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
IBC-Br Bacen 0,93 1,17
ICV DIEESE 0,00 0,00 0,00 0,00
IVAR FGV -0,31 1,05 1,76
IPC-M FGV 0,71 -0,28 -1,18 -0,08
IPC-DI FGV 0,67 -1,19 -0,57
IPC-10 FGV 0,72 0,42 -1,56 -0,14
IPA-M FGV 0,30 0,21 -0,71 -1,27
IPA-DI FGV 0,44 -0,32 -0,63
IPA-10 FGV 0,47 0,57 -0,65 -1,18
INCC-M FGV 2,81 1,16 0,33 0,10
INCC-DI FGV 2,14 0,86 0,09
INCC-10 FGV 3,29 1,26 0,74 -0,02
IGP-M FGV 0,59 0,21 -0,70 -0,95
IGP-DI FGV 0,62 -0,38 -0,55
IGP-10 FGV 0,74 0,60 -0,69 -0,90
IPC FIPE 0,28 0,16 0,12
IPP IBGE 1,01 1,13 -3,11
IPCA-15 IBGE 0,69 0,13 -0,73 -0,37
IPCA IBGE 0,67 -0,68 -0,36
INPC IBGE 0,62 -0,60 -0,31
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Poupança Bacen 0,6491 0,6639 0,7421 0,6814
TBF Bacen 0,9496 0,9844 1,0929 1,0020
TJLP Bacen 0,5683 0,5842 0,5842 0,5842
TR Bacen 0,1484 0,1631 0,2409 0,1805
CDI Cetip 1,0153 1,0349 1,1694
Selic RFB 1,02 1,03 1,17
Indicadores diversos (em Reais)
UPC Bacen 23,59 23,67 23,67 23,67
Minimo Federal 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00
Teto INSS Federal 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22
UFESP Sefaz/SP 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97