Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR)

Responsável: Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), foi concebido para medir a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais em 4 (quatro) das principais capitais brasileiras (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre) com base em informações anonimizadas de contratos de locação obtidas pelo FGV IBRE junto a empresas administradoras de imóveis. O IVAR representa um aprimoramento das estatísticas sobre aluguéis residenciais do FGV IBRE e também passa a compor as diferentes versões do IPC/FGV no subitem Aluguel Residencial.

A divulgação do Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) ocorre sempre no 1º decêndio do mês seguinte ao da coleta dos dados. Abaixo relacionamos todas as taxas do IVAR publicados pela FGV no período de janeiro de 2019 a dezembro de 2022 (índice de janeiro de 2023 não digulgado pela FGV até a presente data), dividido em 3 colunas, sendo: (i) o índice válido num dado mês de referência; (ii) o acumulado em cada ano e; (iii) o acumulado nos 12 meses anteriores ao IVAR do mês de referência. Mais uma vez a Valor Consulting trazendo material de qualidade aos leitores!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mês/Ano Valor do mês Índice do mês (%) Acum. no ano (%) Acum. 12 meses (%)
Jan/2023 Não divulgado até o momento pelo órgão responsável.
Dez/2022 106,3020 -1,19 8,25 8,25
Nov/2022 107,5820 -0,36 9,56 10,28
Out/2022 107,9750 0,10 9,96 11,56
Set/2022 107,8670 -0,02 9,85 11,37
Ago/2022 107,8870 1,76 9,87 10,41
Jul/2022 106,0250 1,05 7,97 8,65
Jun/2022 104,9190 -0,31 6,85 8,05
Mai/2022 105,2450 0,59 7,18 8,83
Abr/2022 104,6300 0,82 6,55 8,24
Mar/2022 103,7830 0,81 5,69 6,24
Fev/2022 102,9460 2,92 4,84 4,76
Jan/2022 100,0250 1,86 1,86 1,23
Dez/2021 98,1960 0,66 -0,61 -0,61
Nov/2021 97,5520 0,79 -1,26 0,70
Out/2021 96,7900 -0,07 -2,03 1,32
Set/2021 96,8580 -0,88 -1,96 3,77
Ago/2021 97,7170 0,14 -1,10 4,48
Jul/2021 97,5850 0,50 -1,23 4,45
Jun/2021 97,1030 0,41 -1,72 3,70
Mai/2021 96,7030 0,04 -2,12 4,14
Abr/2021 96,6630 -1,05 -2,16 0,93
Mar/2021 97,6860 -0,59 -1,13 0,84
Fev/2021 98,2650 -0,55 -0,54 0,41
Jan/2021 98,8130 0,01 0,01 3,80
Dez/2020 98,7990 1,99 4,08 4,08
Nov/2020 96,8740 1,41 2,06 0,71
Out/2020 95,5290 2,35 0,64 -3,28
Set/2020 93,3390 -0,20 -1,67 -7,15
Ago/2020 93,5240 0,11 -1,47 -7,72
Jul/2020 93,4240 -0,23 -1,58 -7,58
Jun/2020 93,6380 0,84 -1,35 -6,27
Mai/2020 92,8580 -3,04 -2,18 -6,26
Abr/2020 95,7730 -1,13 0,90 -3,32
Mar/2020 96,8720 -1,02 2,05 -2,84
Fev/2020 97,8680 2,80 3,10 -2,17
Jan/2020 95,2000 0,29 0,29 -4,66
Dez/2019 94,9230 -1,32 -4,94 -4,94
Nov/2019 96,1880 -2,61 -3,67 -3,67

Ajude o Portal

Tudo que é publicado nesse Portal é de livre acesso e gratuíto, a ajuda que recebemos dos leitores é uma das poucas fontes de renda que possuímos.

Devido aos altos custos, estamos com dificuldades em manter o Portal no ar, assim, ficaremos muito gratos se puder ajudar. Abaixo dados para doações via pix:

Chave Pix: pix@valor.srv.br

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR):

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), foi concebido para medir a evolução mensal dos valores de aluguéis residenciais em 4 (quatro) das principais capitais brasileiras (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre) com base em informações anonimizadas de contratos de locação obtidas pelo FGV IBRE junto a empresas administradoras de imóveis. O IVAR representa um aprimoramento das estatísticas sobre aluguéis residenciais do FGV IBRE e também passa a compor as diferentes versões do IPC/FGV no subitem Aluguel Residencial.

O IVAR foi criado para mensurar a evolução dos valores de aluguéis residenciais no Brasil levando em consideração os valores de transação, ou seja, com base em contratos de locação efetivamente firmados, sejam novos ou contratos renegociados e seus reajustes anuais. O objetivo é oferecer um índice que reflita de maneira mais fiel a realidade do mercado imobiliário, e que sirva como bom balizador também para definição de políticas públicas.

Como se calcula o IVAR:

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) diferentemente dos demais índices de reajuste, possui em sua base somente as variações específicas do setor imobiliário residencial, acompanhando a aceleração ou desaceleração deste mercado, não acumulando com outros setores de bens e serviços. Portanto, temos que o IVAR é calculado considerando o valor dos aluguéis, as características dos imóveis e efeitos das variações do mercado.

Os dados usados na elaboração do IVAR são valores de contratos fornecidos por um conjunto de agentes do mercado imobiliário que fazem a intermediação de operações de locação. A atualização desses valores ao longo do tempo para um mesmo imóvel ocorre em momentos pré-estabelecidos nos contratos para reajustes, ou por negociações entre as partes no meio desses períodos.

Um mesmo imóvel é seguido ao longo do tempo em diferentes contratos, como parte da dinâmica natural do mercado. Em qualquer uma dessas circunstâncias, os valores considerados são aqueles efetivamente desembolsados pelos locatários em cada período do tempo, constituindo, portanto, a informação ideal para o cálculo de um índice que reflita a evolução dos fundamentos do mercado imobiliário.

IVAR X IGP-M:

O Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR) e o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) são índices bem distintos.

O IGP-M é a média da inflação em 3 (três) grandes setores da economia, seja o agronegócio e a indústria da transformação, as despesas das famílias e, também, as despesas com materiais e serviços da construção - 60% Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA); 30% Índice de Preços ao Consumidor (IPC); e 10% Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Dessa forma, o IGP-M é um índice amplo: mede a variação média de serviços e produtos que desafiam várias indústrias e setores da economia. O IGP-M é fortemente influenciado pelo dólar e pelo preço das commodities no mercado internacional.

O IVAR é um índice específico para a medição da variação dos aluguéis residenciais. Mede a variação de preço para qualquer fim.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Resumo dos indicadores econômicos e financeiros Resumo dos indicadores econômicos e financeiros
Órgão Indicador Fev/22 Mar/22 Abr/22 Mai/22 Jun/22 Jul/22 Ago/22 Set/22 Out/22 Nov/22 Dez/22 Jan/23 Fev/23
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
Indicadores Econômicos (em porcentagem)
DIEESE ICV 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00
FGV IVAR 2,92 0,81 0,82 0,59 -0,31 1,05 1,76 -0,02 0,10 -0,36 -1,19
FGV IPC-M 0,33 0,86 1,53 0,35 0,71 -0,28 -1,18 -0,08 0,50 0,64 0,44 0,61
FGV IPC-DI 0,28 1,35 1,08 0,50 0,67 -1,19 -0,57 0,02 0,69 0,57 0,35
FGV IPC-10 0,39 0,47 1,67 0,54 0,72 0,42 -1,56 -0,14 0,17 0,67 0,58 0,47
FGV IPA-M 2,36 2,07 1,45 0,45 0,30 0,21 -0,71 -1,27 -1,44 -0,94 0,47 0,10
FGV IPA-DI 1,94 2,80 0,19 0,55 0,44 -0,32 -0,63 -1,68 -1,04 -0,43 0,32
FGV IPA-10 2,51 1,44 2,81 -0,08 0,47 0,57 -0,65 -1,18 -1,44 -0,98 0,31 -0,06
FGV INCC-M 0,48 0,73 0,87 1,49 2,81 1,16 0,33 0,10 0,04 0,14 0,27 0,32
FGV INCC-DI 0,38 0,86 0,95 2,28 2,14 0,86 0,09 0,09 0,12 0,36 0,09
FGV INCC-10 0,61 0,34 1,17 0,74 3,29 1,26 0,74 -0,02 0,01 0,19 0,36 0,14
FGV IGP-M 1,83 1,74 1,41 0,52 0,59 0,21 -0,70 -0,95 -0,97 -0,56 0,45 0,21
FGV IGP-DI 1,50 2,37 0,41 0,69 0,62 -0,38 -0,55 -1,22 -0,62 -0,18 0,31
FGV IGP-10 1,98 1,18 2,48 0,10 0,74 0,60 -0,69 -0,90 -1,04 -0,59 0,36 0,05
FIPE IPC 0,90 1,28 1,62 0,42 0,28 0,16 0,12 0,12 0,45 0,47 0,54
IBGE IPP 0,54 3,12 2,08 1,81 1,01 1,13 -3,04 -1,89 -0,86 -0,52 -1,29
IBGE IPCA-15 0,99 0,95 1,73 0,59 0,69 0,13 -0,73 -0,37 0,16 0,53 0,52 0,55
IBGE IPCA 1,01 1,62 1,06 0,47 0,67 -0,68 -0,36 -0,29 0,59 0,41 0,62
IBGE INPC 1,00 1,71 1,04 0,45 0,62 -0,60 -0,31 -0,32 0,47 0,38 0,69
SindusCon CUB sem des/ção 0,18 0,25 0,71 4,13 2,22 0,73 -0,01 -0,06 0,04 0,15 0,17 -0,06
SindusCon CUB com des/ção 0,19 0,27 0,76 3,99 2,17 0,70 -0,02 -0,07 0,04 0,15 0,18 -0,07
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Indicadores Financeiros (em porcentagem)
Bacen Poupança 0,5000 0,5976 0,5558 0,6671 0,6491 0,6639 0,7421 0,6814 0,6501 0,6515 0,7082 0,7091
Bacen TBF 0,7272 0,8678 0,8159 0,9776 0,9496 0,9844 1,0929 1,0020 0,9506 0,9519 1,0489 1,0398
Bacen TJLP 0,5067 0,5067 0,5683 0,5683 0,5683 0,5842 0,5842 0,5842 0,6000 0,6000 0,6000 0,6142 0,6142
Bacen TR 0,0000 0,0971 0,0555 0,1663 0,1484 0,1631 0,2409 0,1805 0,1494 0,1507 0,2072 0,2081
Cetip CDI 0,7550 0,9271 0,8343 1,0346 1,0153 1,0349 1,1694 1,0720 1,0207 1,0207 1,1233 1,1233
RFB Selic 0,76 0,93 0,83 1,03 1,02 1,03 1,17 1,07 1,02 1,02 1,12 1,12
Indicadores diversos (em Reais)
Indicadores diversos (em Reais)
Bacen UPC 23,55 23,55 23,59 23,59 23,59 23,67 23,67 23,67 23,81 23,81 23,81
Federal Mínimo 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.212,00 1.302,00 1.302,00
Federal Teto INSS 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.087,22 7.507,49 7.507,49
Sefaz/SP UFESP 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 31,97 34,26 34,26
Cotação Ptax das principais moedas (Em Reais)
Cotação Ptax das principais moedas (Em Reais)
Moeda (Ptax) Fev/22 Mar/22 Abr/22 Mai/22 Jun/22 Jul/22 Ago/22 Set/22 Out/22 Nov/22 Dez/22 Jan/23 Fev/23
Dólar dos EUA (USD) 0,00000 0,00000 0,00000 4,72830 5,23740 5,18780 5,17840 5,40600 5,25640 5,29350 5,21710 5,09870 4,98950
Dólar canadense (CAD) 0,00000 0,00000 0,00000 3,73990 4,06910 4,05200 3,95480 3,93020 3,85310 3,90430 3,85420 3,82010 3,74950
Euro (EUR) 0,00000 0,00000 0,00000 5,07300 5,48300 5,29100 5,21000 5,28870 5,19490 5,45070 5,56660 5,53670 5,45700
Iene japonês (YPY) 0,00000 0,00000 0,00000 0,03678 0,03860 0,03894 0,03733 0,03735 0,03536 0,03794 0,03957 0,03921 0,03885
Libra esterlina (GBP) 0,00000 0,00000 0,00000 5,96900 6,37080 6,31870 6,02820 6,01800 6,05220 6,30460 6,27670 6,27340 6,13260
Peso argentino (ARS) 0,00000 0,00000 0,00000 0,03935 0,04183 0,03953 0,03733 0,03670 0,03350 0,03165 0,02951 0,02728 0,02659
Ver outras moedas (...)
Ver outras moedas (...)

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

INSS: Tetos da contribuição previdenciária

Veremos neste Roteiro um histórico com os valores do teto da contribuição previdenciária vigente desde 01/05/1995, com as respectivas bases legais. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Previdenciário em geral


Aspectos previdenciários do pró-labore

Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos o tratamento dado pela legislação previdenciária para o pró-labore. Para tanto, utilizaremos como fundamento a Lei nº 8.212/1991, o Regulamento da Previdência Social (RPS/1999), aprovado pelo Decreto nº 3.048/1999, bem como outras fontes citadas ao longo do trabalho. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Previdenciário em geral


Empresa de Natal é condenada a pagar motorista por valor de troco roubado

A Segunda Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (RN) condenou a Reunidas Transportes Urbanos Ltda. a pagar a um motorista o valor subtraído em assalto e reservado por ele para ser utilizado em troco. O profissional, que trabalhou para a empresa de maio de 2016 a dezembro de 2020, explicou que mantinha consigo dinheiro seu em espécie, em cédulas miúdas e moedas, para facilitar o troco. Durante esse período, houve a perda desses valores, que g (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Juiz de Passo Fundo nega enquadramento como metalúrgicos e define como comerciários trabalhadores de loja de pneus que também faziam reparos em veículos

O juiz Evandro Luís Urnau, da 4ª Vara do Trabalho de Passo Fundo (RS), indeferiu os pedidos do Sindicato dos Metalúrgicos de Passo Fundo, Marau e Tapejara em ação ajuizada para beneficiar trabalhadores de uma loja de comércio de pneus. Os profissionais foram enquadrados na categoria de comerciários e não como mecânicos e, portanto, não poderiam ser representados pelo sindicato autor do processo. O sindicato afirmou que os empregados realizavam prioritar (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Maioria do STF entende que sentenças definitivas em matéria tributária perdem eficácia com decisão contrária da Corte

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria, na sessão desta quinta-feira (2), no sentido de que os efeitos de uma sentença definitiva (transitada em julgado) em matéria tributária de trato continuado perde seus efeitos quando há julgamento em sentido contrário pelo STF. O julgamento de dois recursos extraordinários (REs) sobre a matéria, com repercussão geral, prosseguirá na próxima quarta-feira (8) com a discussão sobre o marco temporal para a reto (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito tributário)


Justiça acolhe perícia e afasta periculosidade para trabalho com gás liquefeito de petróleo

A 6ª Turma do TRT da 2ª Região negou recurso de operador de empilhadeira que buscava reconhecimento de trabalho insalubre e perigoso. O trabalhador tentou invalidar laudo pericial que afastava as condições alegadas, mas não apresentou elementos ou indícios que pudessem ter esse efeito. De acordo com o parecer do perito, a atividade do homem com o equipamento, que incluía substituição de cilindro de gás liquefeito de petróleo (GLP), não é classificad (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Trabalhador sem salário por dois anos é considerado em condição semelhante à de escravo, decide TRT da 2ª Região (SP)

Em sentença proferida na 6ª Vara do Trabalho de São Paulo (SP), a juíza Julia Pestana Manso de Castro condenou um empregador a pagar R$ 50 mil em danos morais por ter reduzido um trabalhador a condição análoga à de escravo. Na decisão, foi destacada norma do Ministério do Trabalho e Emprego que considera em tal situação a pessoa que está sujeita a condições degradantes de labor. De acordo com o documento, o homem ficou mais de dois anos sem receber (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Emissão de DAS SIMEI 2023 e Indisponibilidade da DASN SIMEI

O Programa Gerador de Documento de Arrecadação do Simples Nacional do Microempreendedor Individual (PGMEI) já está ajustado para a geração do DAS do período de apuração 01/2023, com vencimento em 22/02/2023, tendo como base para a contribuição para o INSS o novo valor do salário-mínimo. Para este período, o valor a ser pago em DAS corresponderá a: R$ 65,10 de INSS (5% do valor do salário-mínimo, de R$ 1.302,00); R$ 5,00 de ISS, caso seja (...)

Notícia postada em: .

Área: Simples Nacional (Microempreendedor Individual (MEI))


Pró-labore

Estudaremos no presente Roteiro de Procedimentos os lançamentos contábeis que as empresas deverão fazer no momento de registrar e pagar a remuneração denominada pró-labore aos seus sócios, diretores ou administradores, bem como, aos titulares de empresas individuais (atualmente empresários) e aos membros do Conselho de Administração de companhia. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Manual de lançamentos contábeis


Tabelas do eSocial

Visando auxiliar nossos leitores com conteúdo de qualidade e de fácil acesso, estamos publicando a lista completa de Tabelas do eSocial. Essas Tabelas são usadas para preencher os eventos do eSocial que são enviados ao Ambiente Nacional Virtual dessa obrigação acessória. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: eSocial


Tabela 30 do eSocial: Formas de tributação para rendimentos de beneficiários no exterior

Visando auxiliar nossos leitores com conteúdo de fácil acesso, estamos publicando a íntegra da Tabela 30 do eSocial, que lista os códigos de formas de tributação para rendimentos de beneficiários no exterior. Essa Tabela é usada para preencher os eventos do eSocial que são enviados ao Ambiente Nacional Virtual dessa obrigação acessória. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: eSocial


Magistrado de Fortaleza reconhece vínculo de emprego de entregador com Ifood

Decisão da 13ª Vara do Trabalho de Fortaleza (CE) reconheceu o vínculo de emprego de um entregador que trabalhava para a empresa Ifood. Na sentença, publicada em dezembro do ano passado, o juiz do trabalho Vladimir Paes de Castro apontou a existência dos requisitos que caracterizam a modalidade de trabalho como contrato intermitente, uma prestação de serviço não contínua, na qual se alternam períodos de atividade e inatividade. O trabalhador realizou e (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito em geral)


TRT-2 mantém justa causa de motorista que dormia no expediente

A 16ª Turma do TRT-2 manteve a justa causa de motorista que dormia em posto de combustível contratado para abastecer veículos de empresa de assistência técnica. Para os magistrados, embora não punida anteriormente, a conduta do profissional foi grave o suficiente para romper o vínculo empregatício. Na ação, o homem alega ter mais de dez anos de firma e que o fim do contrato se deu por suposta alegação de desídia. A empresa afirma, porém, que o desem (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Técnico obtém redução de jornada para cuidar de filho com malformação cerebral congênita

A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho acolheu recurso de um técnico em farmácia da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) de Teresina (PI), para reduzir em 25% sua jornada semanal, ou seja, de 40 para 30 horas, a fim de acompanhar filho com síndrome de Dandy-Walker em atividades terapêuticas. Por unanimidade, o colegiado entendeu que o pai da criança, de quatros anos de idade, precisa assumir os ônus acarretados pela síndrome, o que l (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Juiz de São Luís determina pensão mensal e indenização a trabalhador que perdeu olho direito

Soldador que perdeu a visão do olho direito em decorrência de acidente de trabalho tem direito à pensão mensal até a idade de 76 anos, além de indenização por danos morais e estéticos. A decisão é do juiz do trabalho substituto Luznard de Sá Cardoso que atendeu parcialmente os pedidos formulados pelo trabalhador em uma ação trabalhista em tramitação na 1ª Vara do Trabalho de São Luís (MA). O trabalhador sofreu o acidente, no dia 20 de julho de (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Empregada de SP que sofreu ofensas no trabalho por ser muçulmana deve ser indenizada

Por unanimidade de votos, a Sexta Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) dobrou o valor da indenização por danos morais a uma auxiliar de limpeza que era alvo de "piadas" discriminatórias por ser adepta de religião islâmica. O juízo de primeiro grau havia arbitrado em R$ 10 mil a reparação. No processo, a mulher afirma que durante o contrato de trabalho foi vítima de intolerância religiosa. Ela declara que era xingada de "mulher bomb (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)