Logomarca - Valor Consulting
Logomarca - Valor Consulting

Siga nas redes sociais:

Modalidades (fórmulas) de lançamento contábil

Resumo:

Estudaremos no presente Roteiro de Procedimentos sobre as modalidades, ou fórmulas, de lançamento contábil possíveis de serem realizadas. Basicamente, são 4 (fórmulas) que serão tratadas detalhadamente, inclusive com exemplo prático: 1ª fórmula: uma conta devedora contra uma conta credora; 2ª fórmula: uma conta devedora contra várias credoras; 3ª fórmula: aparecem várias contas debitadas e apenas uma conta creditada; 4ª fórmula: aparecem várias contas debitadas e várias contas creditadas.

Então galera, bora lá e uma ótima leitura!

Postado em: - Área: Contabilidade geral.

1) Introdução:

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) editou a Interpretação Técnica Geral ITG 2000 (R1) para estabelecer critérios e procedimentos a serem adotados pela entidade para a escrituração contábil de seus fatos patrimoniais, por meio de qualquer processo, bem como a guarda e a manutenção da documentação e de arquivos contábeis e a responsabilidade do profissional da contabilidade.

A mencionada Interpretação deve ser adotada por todas as entidades, independente da natureza e do porte, na elaboração da escrituração contábil, observadas as exigências da legislação e de outras normas aplicáveis, se houver.

Nos itens 3 a 13 da ITG 2000 (R1), também restou estabelecido algumas formalidades para a escrituração contábil que devem ser obrigatoriamente observadas pelos profissionais que militam área contábil. Dentre essas formalidades, consta que a escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade, dentre os quais o da competência, continuidade, entidade, etc.

A escrituração contábil, seu nível de detalhamento deve estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários (1). Há também as formalidades da escrituração contábil em forma digital, cujos preceitos constam do Comunicado Técnico CTG 2001 (R3), aprovada pela Resolução CFC nº 1.299/2010.

Outra formalidade muito importante, que é o foco do presente Roteiro de Procedimentos, é o lançamento contábil... Ele corresponde à forma como a contabilidade registra os fatos contábeis que provocam (ou que podem vir a provocar) mudanças na composição do patrimônio da empresa, efetuados de acordo com o método das partidas dobradas. É feito em ordem cronológica e obedecendo a determinada técnica.

Portanto, o lançamento é o meio pelo qual são registrados os fatos contábeis. A escrituração contábil é posta em prática por meio dos lançamentos. O conjunto de lançamentos denomina-se escrituração contábil... Pasme, né! Grande Luca Pacioli!

Os lançamentos contábeis podem ser realizados através de 4 (quatro) fórmulas básicas, a saber (2):

  1. 1ª (primeira) fórmula: uma conta devedora contra uma conta credora;
  2. 2ª (segunda) fórmula: uma conta devedora contra várias credoras;
  3. 3ª (terceira) fórmula: aparecem várias contas debitadas e apenas uma conta creditada;
  4. 4ª (quarta) fórmula: aparecem várias contas debitadas e várias contas creditadas.

Nos próximos capítulos analisaremos cada uma dessas fórmulas, ou como alguns diriam, modalidades de lançamento contábil.

Notas Valor Consulting:

(1) Nesse sentido, a Interpretação Técnica Geral ITG 2000 (R1) não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a ser observado. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não devem necessariamente observar um padrão pré-definido.

(2) A "1ª (primeira) fórmula" é também chamada de fórmula simples. A "2ª (segunda) fórmula" e a "3ª (terceira) fórmula" são fórmulas compostas e a "4ª (quarta) fórmula" é denominada de fórmula complexa.

Base Legal: Itens 1 a 4 da ITG 2000 - R1 e; Comunicado Técnico CTG 2001 - R3 (Checado pela Valor em 03/05/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2) Algumas formalidades:

A escrituração contábil deve ser executada:

  1. em idioma e em moeda corrente nacionais;
  2. em forma contábil;
  3. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
  4. com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e
  5. com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

A escrituração em forma contábil acima mencionada deve conter, no mínimo:

  1. data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
  2. conta devedora;
  3. conta credora;
  4. histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
  5. valor do registro contábil;
  6. informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram um mesmo lançamento contábil.

O registro contábil deve conter o número de identificação do lançamento em ordem sequencial relacionado ao respectivo documento de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Registra-se que a terminologia utilizada no registro contábil deve expressar a essência econômica da transação.

Outras formalidades devem ser consultados no Interpretação Técnica Geral ITG 2000 (R1), como não é o foco deste Roteiro de Procedimentos não os apresentamos em sua amplitude total. Outra forma de se atualizar nesse assunto é ler nosso Roteiro de procedimentos intitulado "Formalidades da escrituração contábil digital".

Base Legal: Itens 5 a 8 da ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

3) Modalidades (fórmulas) de lançamento contábil:

Primeiramente, cabe nos esclarecer que a estrutura do lançamento contábil (ou registro contábil) tem por base o método das "partidas dobradas" (3). Segundo esse método, para cada lançamento a débito em uma conta deve haver um lançamento corresponde a crédito em outra conta, ou seja, não pode haver um valor credor sem um valor devedor correspondente.

Importante ter em mente o que vem a ser débito e crédito em contabilidade:

  1. Débito: Registro realizado para aumentar o valor de uma conta do Ativo (bens e direitos) ou diminuir uma conta do Passivo (obrigações);
  2. Crédito: Registro realizado para aumentar o valor de uma conta do Passivo (obrigações) ou diminuir uma conta do Ativo (bens e direitos).

Ao realizar a escrituração contábil das entidades, os profissionais de contabilidade se deparam com diversos tipos de situações, umas requerem uma estrutura de contabilização mais simples, como registrar o pagamento à vista de uma conta de telefone, onde simplesmente debitamos uma conta de despesa ("Serviços de telefone", por exemplo) e creditamos a respectiva conta que recebeu o desembolso ("Bco. c/ Mvto.", por exemplo). Outras, requerem um estrutura mais complexa de contabilização, como no caso do registro do pagamento de fornecedor em atraso, onde há incidência de multas e juros:

Pelo pagamento de duplicata após o prazo de vencimento, conf. doc. nº XXX.XXX:

D - Fornecedores (PC) _ R$ 30.000,00

D - Juros passivos (CR) _ R$ R$ 1.050,00

D - Multa de mora (CR) _R$ 1.500,00

C - Baco. c/ Mvto. (AC) _ R$ 32.550,00


Legenda:

AC: Ativo Circulante;

CR: Conta de Resultado; e

PC: Passivo Circulante.

Bom, amigos leitores, por isto restou estabelecido 4 (quatro) fórmulas/modalidades de lançamento contábil, que devem ser utilizados conforme a complexidade do fato que se quer registrar... Mais fiquem tranquilos que nos próximos subcapítulos veremos cada uma dessas fórmulas.

Nota Valor Consulting:

(3) Contabilmente, "partida" tem o mesmo significado de lançamento ou assentamento.

Base Legal: ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

3.1) Primeira fórmula:

A 1ª (primeira) fórmula, também conhecida por fórmula simples, caracteriza-se pela simplicidade, pois requer apenas uma conta devedora e uma conta credora, e pode ser assim representada:

Pelo pagamento de conta de telefone, conf. doc. nº XXX.XXX:

D - Serviços de telefone (CR) _ R$ 1.500,00

C - Baco. c/ Mvto. (AC) _ R$ 1.500,00


Legenda:

AC: Ativo Circulante; e

CR: Conta de Resultado.

Base Legal: ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

3.2) Segunda fórmula:

A 2ª (segunda) fórmula, também conhecida por fórmula composta, possuí um nível de dificuldade intermediária e requer uma conta devedora e 2 (duas) ou mais contas credoras, tal como acontece no recebimento em atraso de duplicata de cliente com cobrança de juros e multa de mora:

Pelo recebimento de duplicata de cliente após o prazo de vencimento, conf. Nota Fiscal nº XXX.XXX:

D - Baco. c/ Mvto. (AC) _ R$ 45.500,00

C - Clientes (AC) _ R$ 41.000,00

C - Juros ativos (CR) _ R$ R$ 3.000,00

C - Multa de mora (CR) _R$ 1.500,00


Legenda:

AC: Ativo Circulante;

CR: Conta de Resultado; e

PC: Passivo Circulante.

Base Legal: ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

3.3) Terceira fórmula:

A 3ª (segunda) fórmula, também conhecida por fórmula composta, possuí um nível de dificuldade intermediária e requer 2 (duas) ou mais contas devedoras e apenas 1 (uma) conta credora, tal como acontece no pagamento de fornecedor em atraso com cobrança de juros e multa de mora:

Pelo pagamento de duplicata após o prazo de vencimento, conf. doc. nº XXX.XXX:

D - Fornecedores (PC) _ R$ 30.000,00

D - Juros passivos (CR) _ R$ R$ 1.050,00

D - Multa de mora (CR) _R$ 1.500,00

C - Baco. c/ Mvto. (AC) _ R$ 32.550,00


Legenda:

AC: Ativo Circulante;

CR: Conta de Resultado; e

PC: Passivo Circulante.

Base Legal: ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

3.4) Quarta fórmula:

A 4ª (quarta) fórmula, também conhecida por fórmula complexa, possuí um nível de dificuldade maior, por isso mesmo é menos usada que as anteriores. Está fórmula requer 2 (duas) ou mais contas devedoras e 2 (duas) ou mais contas credoras. Abaixo um exemplo de pagamento de fornecedor em atraso, com cobrança de juros e multa de mora.

Para dificultar o exemplo, bem como para demonstrar a fórmula complexa, estamos supondo que o pagamento foi efetuado de 2 (duas) formas, parte em dinheiro e parte através de depósito bancário:

Pelo pagamento de duplicata após o prazo de vencimento, conf. doc. nº XXX.XXX:

D - Fornecedores (PC) _ R$ 30.000,00

D - Juros passivos (CR) _ R$ R$ 1.050,00

D - Multa de mora (CR) _R$ 1.500,00

C - Baco. c/ mvto. (AC) _ R$ 27.550,00

C - Caixa (AC) _ R$ 5.000,00


Legenda:

AC: Ativo Circulante;

CR: Conta de Resultado; e

PC: Passivo Circulante.

Vale mencionar que devido ao nível de dificuldade dessa fórmula ela é pouco utilizada, são muitos débitos e créditos misturados em um mesmo lançamento contábil, o que torna sua análise e compreensão mais complexa. Porém, entendemos que todos precisam saber de sua existência, pois em algum momento poderão precisar dela.

Uma forma de deixar a fórmula complexa mais compreensível é abrir mão de históricos que identifiquem com clareza todos os elementos inerentes a cada uma das partidas (contas devedoras e contas credoras).

Base Legal: ITG 2000 - R1 (Checado pela Valor em 03/05/21).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

4) Escrituração Contábil Digital (ECD):

As formalidades da escrituração contábil em forma digital para fins de atendimento ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) estão elencadas no Comunicado Técnico CTG 2001 (R3), aprovado pela Resolução CFC nº 1.299/2010, cujo objeto maior é estabelecer os procedimentos técnicos e demais formalidades a serem observados pelos profissionais de Contabilidade quando da realização da escrituração contábil em forma digital.

A leitura completa desse Comunicado é de extrema relevância e, visando ajudar nossos leitores, publicamos mm estudo sobre o tema que pode ser encontrado no link: Formalidades da escrituração contábil em forma digital para fins de atendimento ao Sped.

Bom, de qualquer forma, convém mencionar que a escrituração contábil em forma digital deve ser executada em conformidade com os preceitos estabelecidos na Interpretação Técnica Geral (ITG 2000) que trata sobre "Escrituração Contábil". Porém, o CTG 2001 (R3) é que estabelece o detalhamento dos procedimentos a serem observados na escrituração contábil em forma digital para fins de atendimento ao Sped.

O item 1.16 do Manual de Orientação da ECD faz uma restrição em relação à utilização dos lançamentos contábeis de 4ª (quarta) fórmula no Sped Contábil. Eles podem ser utilizados desde que se refiram a um único fato contábil. Para as outras 3 (três) fórmulas de lançamento contábil, não há restrição:

1.16. Lançamentos de Quarta Fórmula e Planos de Contas com 4 níveis.

O Sped Contábil faz validações para que o CTG 2001 (R3) seja cumprido, conforme destacado abaixo:

- Os lançamentos de quarta fórmula podem ser utilizados desde que se refiram a um único fato contábil.


- O plano de contas da empresa deve ter, no mínimo, 4 níveis.

Exemplo:

Nível 1: Ativo

Nível 2: Ativo Circulante

Nível 3: Disponibilidades

Nível 4: Caixa

Base Legal: ITG 2000 - R1; Preâmbulo e itens 1 a 3 do Comunicado Técnico CTG 2001 - R3 e; Item 1.16 do Manual de Orientação da ECD (Checado pela Valor em 03/05/21).
Informações Adicionais:

Este material foi escrito no dia pelo(a) Valor Consulting e está atualizado até a doutrina e legislação vigente em (data da sua última atualização), sujeitando-se, portanto, às mudanças em decorrência das alterações doutrinárias e legais.

Lembramos que não é permitido a utilização dos materiais aqui publicados para fins comerciais, pois os mesmos estão protegidos por direitos autorais. Também não é permitido copiar os artigos, materias e arquivos do Portal Valor Consulting para outro site, sistema ou banco de dados para fins de divulgação em sites, revistas, jornais, etc. de terceiros sem a autorização escrita dos proprietários do Portal Valor Consulting.

A utilização para fins exclusivamente educacionais é permitida, desde que indicada a fonte:

"Valor Consulting. Modalidades (fórmulas) de lançamento contábil (Área: Contabilidade geral). Disponível em: https://www.valor.srv.br/matTecs/matTecsIndex.php?idMatTec=909. Acesso em: 07/05/2021."

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Nutricionistas: Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)

Analisaremos neste trabalho todas as disposições trazidas pela Resolução CFN nº 576/2016, que veio dispor sobre os procedimentos para solicitação, análise, concessão e anotação de responsabilidade técnica do nutricionista, bem como deu outras providências não menos importantes. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Profissões regulamentadas


Darf avulso para pagamento de contribuições previdenciárias não pode mais ser emitido

A Receita Federal desativou a opção de emissão do Darf avulso para recolhimento das contribuições previdenciárias para cidadãos obrigados à DCTFWeb. O Darf avulso com código de receita 9410 foi criado em 2018 para que os contribuintes com dificuldades técnicas no fechamento da folha de pagamento no eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) ou com dificuldades no processamento do EFD-Reinf (Escr (...)

Notícia postada em: .

Área: Previdenciário


Como o contribuinte/empregador Segurado Especial deverá informar a folha de pagamento?

DCTFWeb substituirá a GFIP para contribuintes/empregadores pessoas físicas em julho/2021 e o empregador Segurado Especial deverá informar eventos de folha de pagamento no eSocial apenas a partir dessa competência. O Segurado Especial dispõe de um módulo web simplificado e deverá informar a folha de pagamento de empregados, a comercialização da produção, além do pagamento a autônomos. Hoje, esse segurado informa GFIP e recolhe em GPS os valores d (...)

Notícia postada em: .

Área: Trabalhista - eSocial


Governo adianta 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS

Foi publicada nesta quarta-feira (5/5), no Diário Oficial da União (DOU), o Decreto nº 10.695, que antecipa o pagamento do abono anual devido aos beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Segundo o secretário de Previdência, Narlon Nogueira, “a medida é muito relevante pois permite injetar na economia cerca de R$ 52,7 bilhões, favorecendo o processo de recuperação econômica, e, ao mesmo tempo, antecipar a renda aos beneficiários da P (...)

Notícia postada em: .

Área: Previdenciário


Enfermeira com jornada reduzida não tem direito a diferenças salariais em relação ao piso

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho julgou improcedente o pedido de uma enfermeira, contratada para jornada de trabalho de 10 horas semanais, de pagamento de diferenças salariais em relação ao piso da categoria. A decisão segue o entendimento de que, nos casos de contratação para jornada inferior à previsão constitucional de oito horas diárias, é lícito o pagamento proporcional ao tempo trabalhado. Diferenças salariais Na ação trabal (...)

Notícia postada em: .

Área: Direito trabalhista - Geral



Dica número 2 de como elaborar seu currículo

Anteriormente, escrevi um artigo com o seguinte tema: Dica número 1 de como elaborar seu currículo. Se você ainda não o leu, sugiro de você iniciar a temática “Currículo” por lá... A elaboração do currículo é uma das principais dúvidas dos profissionais. Penso que seja porque há muitas abordagens do assunto, inclusive, várias delas são controversas, o que pode gerar confusão e insegurança na hora de elaborar esta ferramenta. A dica #2 é (...)

Artigo postado em: .

Área: Trabalhista - Recursos Humanos


WhatsApp começa a permitir transferências de dinheiro pelo app no Brasil

O WhatsApp anunciou o início das transferências de dinheiro por meio do aplicativo no Brasil, com início nesta terça, 4/5. As operações, associadas a cartões de débito, não terão taxas e serão realizadas como se dá o envio de fotografias para os contatos. O serviço de pagamentos - batizado de Facebook Pay - será disponibilizado gradualmente nas próximas semanas em todo o país, e os pagamentos para empresas serão ativados no futuro, após aprovação (...)

Notícia postada em: .

Área: Tecnologia


Novo eSocial Simplificado: como será a implantação para pessoas físicas e jurídicas

Cronograma prevê a obrigatoriedade do envio de eventos de folha de pagamento para o terceiro grupo a partir de maio/21. Período de convivência de versões permitirá que os empregadores se adaptem gradualmente. Implantação da versão S-1.0 foi reprogramada para 17/05, para não coincidir com o período de fechamento de folha do mês anterior. Maio de 2021 traz duas grandes novidades do eSocial: a entrada em produção do Novo eSocial Simplificado e a ob (...)

Notícia postada em: .

Área: Trabalhista - eSocial


Diretor-empregado não responde subsidiariamente pelas obrigações da empresa reclamada

A 4ª Turma do Tribunal do Trabalho de São Paulo (TRT-2), por unanimidade de votos, excluiu um diretor de uma empresa de soluções em informática do polo passivo da execução de um processo trabalhista. Na decisão de 1º grau, ele foi considerado subsidiariamente responsável pelas obrigações pertinentes a sua empregadora, que foi condenada ao pagamento de verbas rescisórias ao reclamante. A decisão da 4ª Turma se deu após agravo de petição (recurso (...)

Notícia postada em: .

Área: Direito trabalhista - Geral