Logomarca - Valor Consulting
Logomarca - Valor Consulting

Siga nas redes sociais:

Alerta contra golpes envolvendo o nome do Bacen: Principais tentativas de golpe

Postado em: - Área: 01. Alerta de golpes.

1) Pergunta:

Quais são as principais tentativas de golpe envolvendo o nome do Banco Central ou de instituições fiscalizadas por ele?

2) Resposta:

2.1 Pedido de pagamento inicial para liberar empréstimo

O golpista diz que trabalha em um banco ou financeira e oferece empréstimo com taxa de juros muito baixa ou outra condição especial. Para ter acesso ao crédito, você tem que pagar um valor antecipado (depósitos, transferências, Pix, etc).

Atenção! Bancos e outras instituições fiscalizadas pelo Banco Central não exigem pagamentos antecipados para liberar empréstimos.

Fique atento:

  • Nunca faça pagamento antecipado para pegar empréstimos. A atenção deve ser ainda maior se a conta para pagamento for de pessoa física.
  • Desconfie de ofertas muito abaixo do mercado ou que não exijam garantias, como avalistas ou fiadores.
  • Somente contrate empréstimo, financiamento ou consórcio com uma instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central. Veja aqui a lista de autorizadas.
  • Desconfie se a empresa não fizer consultas ao SPC e Serasa, por exemplo.

2.2 Pedido de dinheiro por aplicativo de mensagem

O aplicativo de mensagem (whatsapp ou telegram, por exemplo) de um amigo ou familiar é clonado e o golpista envia mensagens para você pedindo que transfira ou faça Pix de um valor para conta de outra pessoa.

Fique atento:

  • Nunca transfira dinheiro a pedido de amigos ou parentes em função dessas mensagens, principalmente para conta de outras pessoas. O ideal é telefonar antes para a pessoa para confirmar se ela realmente fez o pedido.

2.3 SMS, e-mail ou ligação pedindo atualização cadastral

Você recebe mensagem falsa de banco ou instituição financeira pedindo para atualizar seu cadastro. A mensagem possui um link que leva para uma página falsa da instituição na internet. Nesse momento, o golpista consegue clonar sua conta e transfere valores da sua conta para conta de outras pessoas, usando Pix ou outro tipo de transferência.

Fique atento:

  • Se receber SMS ou e-mail do banco, não clique no link, apague a mensagem e ligue para seu gerente para confirmar se precisa atualizar seus dados cadastrais.
  • Não realize atualizações cadastrais por telefone, e-mail ou SMS.
  • Faça a atualização cadastral somente por meio seguro ou em atendimento presencial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2.4 Compras pela internet

O golpista possui loja virtual "de fachada" e oferece produtos e serviços em condições super vantajosas. Outro tipo de golpe é um falso leiloeiro que faz leilão de produtos a preços muito abaixo do mercado. Nesses casos, você faz a transferência para o falso vendedor ou leiloeiro e não recebe os produtos como prometido.

Em muitos casos, os golpistas emitem boletos com códigos de barra verdadeiros, mas com informações falsas sobre a conta de destino. Ou seja, o boleto traz os dados de uma loja ou pessoa específica, mas quem vai receber o valor é o próprio golpista (o dinheiro é depositado em conta da pessoa física).

Fique atento:

  • Desconfie de preços muito abaixo do mercado.
  • Pesquise se a loja ou a empresa de leilão realmente existem e se trabalham de forma correta.
  • Consulte se essas empresas possuem reclamações em sites especializados ou no consumidor.gov.br.
  • Ao pagar o boleto, verifique, no aplicativo, site ou caixa eletrônico que você está usando, se o nome do beneficiário do pagamento é de pessoa física ou empresa para quem você quer transferir o dinheiro.

2.5 Compras feitas com cartão de crédito que você não possui

O golpista emite um cartão de crédito em seu nome sem sua autorização e o utiliza para realizar compras não autorizadas por você.

Fique atento:

  • O Banco Central não possui informação sobre os cartões de crédito emitidos em seu nome. Peça essas informações ao banco ou instituição financeira que emitiu o cartão.
  • Se você possui os seis primeiros números do cartão falso, consulte aqui a instituição que emitiu o cartão e entre em contato com ela para pedir o cancelamento.
  • Se você não possui os seis primeiros números do cartão falso, consulte os relatórios do Banco Central no sistema Registrato para encontrar o banco que emitiu o cartão:

Sistema de Informações de Crédito (SCR): informa os valores de empréstimos e cartões de crédito que você contratou com uma instituição financeira.

Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional (CCS): traz a lista de instituições onde você possui conta corrente ou poupança, além da data de início e a data de fim do relacionamento com essa instituição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2.6 Pagamento de taxa sobre cheques sem fundos antigos

Você recebe ligação de empresa de cobrança dizendo que existe uma dívida de taxa de cheque sem fundo emitido por você há muito tempo. A empresa diz que está cobrando o valor em nome do Banco Central.

Fique atento:

  • O Banco Central não faz esse tipo de cobrança.
  • Entre o contato com o banco ou instituição financeira que forneceu o cheque.
  • Não faça nenhum pagamento sem ter certeza da dívida.
  • Peça ao gerente de sua conta que consulte o Relatório de Cheques sem Fundos (CCF).

Obs.: Caso a dívida realmente exista, o Código de Defesa do Consumidor diz, em seu artigo 42, que "na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça". Procure os órgãos de defesa do consumidor se a cobrança ocorrer de forma inadequada.


2.7 Cartão clonado para entrega a motoboy

Você recebe ligação do golpista falando em nome de um banco que informa que seu cartão de crédito foi clonado e que o motoboy do banco vai buscar o cartão clonado em sua residência e que você deve entregá-lo junto com a senha, para que ele seja cancelado. O cartão então é usado para compras e saques sem sua autorização.

Fique atento:

  • Nunca entregue o cartão a alguém, mesmo que ele esteja bloqueado.
  • Em caso de fraude ou clonagem do cartão, peça o cancelamento ao banco. Após confirmar o cancelamento, triture o cartão e jogue os restos no lixo.

2.8 Máquina de cartão adulterada

Estabelecimento comercial utiliza máquina de cartão adulterada que rouba dados e senha de seu cartão quando você vai pagar a conta.

Fique atento:

Somente insira a senha após conferir o valor, visualizar integralmente a tela e se o visor da máquina de cartão estiver funcionando perfeitamente.


2.9 Golpista prestativo na agência

O golpista percebe que você está com alguma dificuldade no caixa eletrônico e oferece ajuda. Nesse momento, ele troca o seu cartão por um falso e decora a senha que você digitou no terminal.

Fique atento:

  • Peça ajuda somente a funcionários do banco, que devem estar identificados com crachá, uniforme ou avental com nome do banco.
  • Nunca forneça sua senha a outras pessoas, mesmo que conhecidas.

propaganda3
2.10 Herança, doações e prêmios

O golpista promete valores em moeda estrangeira (dólar, por exemplo), dizendo ser de prêmios que você recebeu no exterior, ou doações, e heranças. Para que o dinheiro seja liberado, você precisa fazer transferências para uma conta no exterior.

Fique atento:

  • Não transfira dinheiro para o exterior para receber algum valor prometido.

2.11 Golpes envolvendo mensagens SWIFT e títulos falsos

O golpista entra em contato e diz que você:

  • Possui conta no Banco Central que pode ser acessada desse você apresentar documentos ou por mensagens SWIFT (padrão internacional de comunicação entre instituições financeiras); ou
  • Possui títulos e documentos das Letras do Tesouro Nacional (LTN) que podem ser usados como garantia de operações falsas.

Fique atento:

  • O Banco Central não entra em contato com você para tratar desses assuntos, mesmo que o golpista diga números de normas ou nomes de departamentos, de diretores e de servidores do Banco Central.
  • O golpista geralmente usa termos jurídicos e financeiros, nomes de autoridades, carimbos e reconhecimentos de firma para que o golpe pareça real.
  • Transações realizadas por mensagens SWIFT são realizadas por canal próprio de comunicação entre instituições bancárias e não são utilizadas pelo Banco Central para reconhecer crédito ou dar garantia a pessoas físicas ou jurídicas.
  • Desconfie de termos como "resgate", "aceitação de valor", "carta padrão de crédito", "notas promissórias", "títulos de indenização", "compensação de obrigações", "carta de crédito", "garantia", "Certidão Conjunta de Valor Atualizado", "Certificado de Repactuação", "Declaração de Autenticidade" e "Autorização para transporte de ativo financeiro".
  • Todos os títulos emitidos pelo Tesouro são negociados e custodiados eletronicamente e não existem sob a forma de papel.
  • Não existem Letras do Tesouro Nacional (LTN) ou outros títulos com atributos de cor ("roxa", "dourada", "verde", etc).
  • O Banco Central não confirma se títulos do Tesouro são verdadeiros.
  • O Banco Central não outorga cartas de crédito, instrumento próprio de bancos comerciais.
  • Em caso de dúvidas, ligue para 145 ou acesse Fale conosco.

Sobre alertas de fraude com títulos públicos, consulte aqui a página do Tesouro Nacional.


2.12 Cobrança de dívidas pelo Banco Central

O golpista diz que trabalha em um banco, instituição financeira ou no Banco Central, e cobra dívida em seu nome que está em atraso.

Fique atento:

  • O Banco Central não cobra dívidas em atraso em nome de bancos e outras instituições financeiras.
  • Não faça pagamentos sem ter certeza da dívida.
  • Peça à empresa de cobrança ou à instituição financeira os documentos que comprovem a origem da dívida.

2.13 E-mails e mensagens falsas em nome do Banco Central

O golpista envia mensagens, cartas e e-mails falsos com a marca do Banco Central ou assinadas por pessoas que supostamente trabalham no BC.

Fique atento:

O Banco Central não pede senhas, dados bancários, informações pessoais, cadastramento ou recadastramento em sistemas.

O Banco Central não envia SMS ou mensagens por aplicativos de mensagens para os cidadãos.

Se você receber alguma mensagem desse tipo, não abra os arquivos, não clique nos links, não siga nenhuma instrução, não preencha formulários e nem envie qualquer tipo de informação pessoal.

Caso você receba uma comunicação do Banco Central e tenha dúvidas se ela é verdadeira, entre em contato pelo telefone 145 ou pelo Fale Conosco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

2.14 Número de telefone falso da Central de Atendimento do Banco Central

O golpista liga para você dizendo ser do Banco Central e pede que você faça pagamentos ou transferências de dinheiro.

Fique atento:

  • O Banco Central só liga para você se você tiver feito um pedido de informação ou reclamação contra bancos nesse órgão.
  • Desconfie quando receber ligações de pessoa que diz ser funcionário do Banco Central se você não tiver entrado em contato com o BC antes, ou se a pessoa na linha não falar especificamente da demanda que você registrou. Em caso de dúvidas, ligue para 145 ou acesse Fale conosco.

** Para evitar o avanço da Covid-19, o atendimento presencial está temporariamente suspenso.


2.15 Golpes contra prefeituras

O golpista diz ser servidor do Banco Central e entra em contato com prefeituras para cobrar débitos de processos judiciais. Pede que sejam feitos depósitos judiciais para evitar o bloqueio das contas do município.

Fique atento:

  • Apenas juízes e tribunais podem determinar o bloqueio ou o desbloqueio de valores e/ou contas bancárias.
  • Os servidores do Banco Central não podem sustar ou atrasar o cumprimento de ordens judiciais e nunca fazem contatos pessoais ou telefônicos para isso. Essas ordens são processadas eletronicamente e encaminhadas diretamente às instituições financeiras. Caso uma prefeitura receba qualquer contato dessa natureza, deve entrar em contato diretamente com o órgão do Poder Judiciário emissor da ordem e com as autoridades policiais competentes.
Base Legal: Questão 2 do capítulo "Alerta contra golpes envolvendo o nome do Banco Central e de instituições financeiras" do Perguntas Frequentes do Bacen. (Checado pela Valor em 05/07/21).

ACOMPANHE AS ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Industrialização de produtos destinados a uso e/ou consumo do encomendante

Examinaremos no presente Roteiro de Procedimentos o tratamento fiscal dispensado pela legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a remessa e o retorno de industrialização por encomenda de produtos industrializados destinados a uso e/ou consumo ou ao Ativo Imobilizado (AI) do encomendante. Para tanto, utilizaremos como fonte de estudo o Regulamento do IPI (RIPI/2010), aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Montagem realizada fora do estabelecimento industrial

Veremos nesta oportunidade o tratamento fiscal dispensado pela legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) às operações de montagem realizadas fora do estabelecimento industrial, para tanto, utilizaremos como base de estudo o Regulamento do IPI/2010 (RIPI/2010), aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, bem como Pareceres Normativos baixados pelo Coordenador do Sistema de Tributação (CST) do Ministério da Fazenda (MF). (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Regulamentação do PPP em meio digital

Pessoal, a partir de 01/10/2021 entra em vigor a Portaria MTP nº 313/2021 que veio a dispor sobre a implantação do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) em meio eletrônico, cuja implantação será gradativa, conforme cronograma de implantação dos eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) no eSocial. As orientações quanto ao adequado preenchimento no eSocial das informações que compõem o PPP estão estabelecidas no Manual de Orientaçã (...)

Notícia postada em: .

Área: Previdenciário (Previdenciário em geral)


Receita Federal notificará empresas com divergências na apuração do GILRAT

Notificações de autorregularização de inconsistências verificadas em GFIPs,relativas às competências do ano-calendário de 2018, serão enviadas a quase 7 mil pessoas jurídicas. A Receita Federal constatou indícios de informações indevidas no GILRAT, que trata da contribuição para o Grau de Incidência de Incapacidade Laborativa Decorrente dos Riscos Ambientais do Trabalho, enviado nas GFIPs. Os dados indicam a falta no recolhimento dessa contri (...)

Notícia postada em: .

Área: Previdenciário (Previdenciário em geral)


STF decide que cabe à Justiça do Trabalho julgar ações sobre reflexos de verbas nas contribuições de previdência privada

O Plenário Virtual do Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que compete à Justiça do Trabalho processar e julgar causas ajuizadas contra o empregador nas quais se pretenda o reconhecimento de verbas de natureza trabalhista e os reflexos nas respectivas contribuições para a entidade de previdência privada a ele vinculada. A decisão se deu no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 1265564, que teve repercussão geral reconhecida (Tema 1166) e, no mérit (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)


Pandemia: grávida de Campinas pode seguir afastada do meio ambiente de trabalho sem prejuízo dos direitos trabalhistas

No exercício de sua competência regimental, a vice-presidência judicial apreciou e indeferiu liminarmente mandado de segurança impetrado por empresa de Campinas e distribuído à Primeira Seção de Dissídios Individuais do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP), assegurando à trabalhadora grávida o direito de permanecer afastada, durante a pandemia, sem prejuízo de seus direitos trabalhistas. No caso concreto, a sentença da 4ª Vara (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito trabalhista)



Venda a varejo no estabelecimento industrial com foco no IPI

Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos o tratamento fiscal dado pela legislação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) às vendas a varejo realizados por estabelecimentos industriais, ou a eles equiparados, através de uma seção de venda a varejo criada especificamente à venda de seus produtos a consumidores e/ou usuários finais. Para tanto, utilizaremos como base o Regulamento do IPI (RIPI/2010), aprovado pelo Decreto nº 7.212/2010, bem (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)


Competência das assembléias gerais das companhias

No presente Roteiro de Procedimentos veremos quais são as competências das assembleias gerais das sociedades anônimas, com fulcro na Lei nº 6.404/1976 (Lei das SAs). Importante mencionar que a assembleia geral é o órgão máximo de decisão da sociedade anônima e dela emana as decisões políticas e sociais que servirão de norte para o bom funcionamento da companhia. (...)

Roteiro de Procedimentos atualizado em: .

Área: Sociedades Anônimas (S/A)


Agenda das empresas fica comprometida com obrigações de fim de ano

Setores devem ter planejamento para evitar transtornos para as empresas. De outubro em diante, começa uma contagem regressiva de encerramento de ciclo no meio corporativo, de maneiras diferentes em cada setor. Para os departamentos de Recursos Humanos, Pessoal e Contábil, o período é sinônimo de correria - em algumas empresas, a agitação persiste até janeiro do ano seguinte. Isso porque há muitas obrigações legais e despesas extras a cumprir. (...)

Notícia postada em: .

Área: Contabilidade (Contabilidade geral)


Direito à pensão por morte prescreve em cinco anos quando há indeferimento administrativo

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) esclareceu que, havendo o indeferimento administrativo da pensão por morte, o interessado tem o prazo de cinco anos - contados da resposta negativa da administração - para submeter seu pedido ao Judiciário, sob pena de prescrição do fundo de direito. O colegiado acompanhou o relator, desembargador convocado Manoel Erhardt, no julgamento de embargos de declaração em recurso anteriormente relatado pe (...)

Notícia postada em: .

Área: Judiciário (Direito previdenciário)


Senado define praça para cobrança do IPI

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (14), o Projeto de Lei 2.110/2019, que define o termo "praça" para efeito de tributação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A matéria já havia sido discutida em Plenário no último dia 25 de agosto, mas teve sua votação adiada. De iniciativa do deputado William Woo (PV-SP) e relatado pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG), o projeto segue agora para a sanção da Presidência da República. (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (IPI)


Decreto aumenta alíquotas do IOF para custear novo Bolsa Família

Regra vale até fim do ano e deve gerar R$ 2,14 bilhões em arrecadação O presidente Jair Bolsonaro editou nesta quinta-feira (16) um decreto para aumentar as alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nas transações de crédito de pessoas jurídicas e físicas. As novas alíquotas, que ainda não foram detalhadas, começam a valer a partir do dia 20 de setembro e têm validade até 31 de dezembro de 2021 deste ano. O objetivo da medida (...)

Notícia postada em: .

Área: Tributário Federal (Imposto sobre Operações Financeiras-IOF)